SOCIAL

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Caso TACV: Líder da UNTC-CS aununcia que acompanha com preocupação o processo da reestruturação da empresa 09 Janeiro 2018

A Secretária-geral da UNTC-CS anunciou, hoje, que a sua organização está a acompanhar com preocupação o desenrolar do processo de reestruturação da TACV. Em causa está o processo da reestruturação com despedimentos de trabalhadores, visando a futura privatização da companhia nacional da bandeira. Um dossier que continua a da dar que falar, na sequência das denuncias do maior partido da oposição de que está a pecar por indícios de falta de transparência na parceria feita entre o actual Governo de Cabo Verde, a Binter e Icelandair.

Caso TACV: Líder da UNTC-CS aununcia que  acompanha com preocupação o processo da reestruturação da empresa

Joaquina Almeida afirma reconhecer que não se trata de um dossiê fácil, já que envolve despedimentos, rescisão de contratos por mútuo acordo e programas de pré-reforma para os trabalhadores da empresa.

Referindo-se ao processo de diálogo, a Secretaria-geral da UNTC-CS garante, no entanto, que desde que os sindicatos foram envolvidos, as negociações estão a decorrer de forma tranquila - falta as partes alcançarem a um acordo final consensual.

Em causa está o processo da reestruturação com despedimentos de trabalhadores, visando a futura privatização da companhia nacional da bandeira. O dossier continua a da dar que falar, na sequência das denuncias do maior partido da oposição de que o negócio está a pecar por falta de transparência na parceria feita entre o Governo da República, a Binter e Icelander. Por isso, o Ministério Público tem uma queixa do PAICV, que pediu a fiscalização do negócio.

Crise na liderança da UNTC-CS

Entretanto, a liderança de Joaquina Almeida está a ser alvo fortes contestações nos últimos tempos. Depois do pedido de demissão de dois vices, na passada sexta-feira o Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública de Santiago acusou a secretária-geral da UNTC-CS de perseguir e humilhar os trabalhadores.

A denuncia feita por Arnaldo Cardoso, dirigente do STAPS, durante um encontro com a imprensa na Praia. Cardoso revela que, além de intimidar os seus funcionários, Joaquina Almeida não tem disponibilizado informações aos sindicatos filiados na União Nacional dos Trabalhadores de Cabo Verde.

Segundo a RNCV, Arnaldo Cardoso disse ainda que, desde que assumiu o cargo, a Secretária geral esteve sempre em conflito com grande parte dos sindicatos filiados na UNTC-CS, perseguindo trabalhadores. Um fato que, no seu entender, demonstra que « a mesma não serve para estar à frente desta central sindical».Este jornal sabe que, dentro de dias, podem surgir protestos com distanciamento mais fortes por parte de sindicados até agora formalmente filiados na mesma central.

Questionada sobre este particular pela RCV, Joaquina Almeida escusou-se a reagir às declarações proferidas pelo membro da direção do STAPS, mas adiantou que a Comissão Permanente da UNTC-CS vai analisar o caso e só depois mercará uma conferência de imprensa para se pronunciar sobre o assunto em apreço.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau