MUNDO INSÓLITO

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

ADN frustra sonho de 50 anos da “filha” ’ave rara’: Salvador Dalí não é o... 09 Setembro 2017

O autointitulado génio Salvador Dalí foi talvez o pintor surrealista mais notório. Uma avó disse à neta "És uma ave rara! Como o teu pai". Pilar Abel Martínez acreditou e começou aí a ideia da demanda de paternidade que iria fazer meio século depois. O processo turbulento chegou ao fim esta quarta-feira, 6. O desenlace frustra as expectativas desta espanhola, nascida em 1956, que tinha acionado a justiça para provar que Salvador Dalí era seu pai.

ADN frustra sonho de 50 anos da “filha” ’ave rara’: Salvador Dalí não é o...

O longo processo teve um desenlace que frustra Pilar mas alivia a outra parte, que é a Fundación Gala-Salvador Dalí, gestora do riquíssimo património de Dalí, que morreu sem descendentes.

A exumação dos restos do pintor teve lugar há dois meses, em julho, no meio de uma grande controvérsia. A juiz do processo foi muito criticada e agora a Fundação pondera apresentar queixa.

Segundo os exames realizados pelo instituto nacional forense, de Madrid, “os indícios negam, sem qualquer margem para dúvida, a veracidade da pretensa paternidade”, afirmaram na quarta-feira fontes do centro que gere o legado do pintor.

“Não me escondo, seja qual for o resultado”

“Se for negativo, continuarei a ser a Pilar”, disse a mulher — que trabalhou como astróloga e tinha um programa na televisão de Girona.

Ela relatou em várias ocasiões que desde pequena sabia ser filha de Dalí e que só em 2007 começou a falar disso publicamente. Mas nenhum escritório de advogados aceitou defender o seu caso contra a poderosa fundação que gere o património de Dalí.

Há dois anos, ela exultava: um advogado aceitou representá-la na demanda em tribunal para o seu reconhecimento como filha do pintor surrealista, falecido em 1989 sem descendência.

Segundo os documentos que acompanharam a demanda judicial, ela nasceu “em Figueres, em 1 de fevereiro de 1956, fruto de uma relação de amizade que se converteu em amor na clandestinidade” entre Dalí e a mãe de Pilar, ainda viva e residente na mesma cidade onde a filha nasceu.

A demandante baseava-se ainda na grande semelhança física com o pintor e no facto de que a própria avó paterna lhe repetia: “Sei que não és a filha do meu filho, o teu pai é um grande pintor, mas continuo a gostar de ti”.

O resultado deste exame deixou exultantes os representantes da fundação que sempre estiveram contra a “inédita e injustificada decisão judicial de praticar a exumação”.

Em breve, os restos mortais de Dalí — extraídos em finais de julho (unhas, cabelo, um dente e dois ossos grandes) – serão restituídos ao cadáver que será dado à terra pela terceira vez.

Fontes: EFE, El País. Foto do site da fundação criada pelo próprio pintor, em 1984.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau