POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Acto solene do 5 de Julho: Chefe de Estado enaltece o apoio do povo da Guiné Bissau na luta pela independência de Cabo Verde 05 Julho 2015

«Permitam-me, minhas senhoras e meus senhores, dirigir com emoção uma palavra muito especial de grande afecto e profundo respeito a um povo que consentiu importantes sacrifícios para que hoje pudéssemos estar aqui, quarenta anos depois, a celebrar um sonho construído com muita audácia, muita dor e imenso amor. Muito obrigado ao Povo da Guiné Bissau !.». Foi desta forma que o Chefe de Estado, Jorge Carlos Fonseca, reconheceu hoje, 5, na sessão solene da Assembleia Nacional que marcou os 40 anos da independência de Cabo Verde, o sacrifício que os guineenses consentiram para que o nosso pais pudesse estar hoje livre e independente.

Acto solene do 5 de Julho: Chefe de Estado enaltece o apoio do povo da Guiné Bissau na luta pela independência de Cabo Verde

Vivamente aplaudido pelos presentes, o Presidente da República procurou assim prestar um justo reconhecimento ao povo irmão da Guiné-Bissau pelo importante contributo que deu à causa da independência nacional, acolhendo todos os cabo-verdianos que foram participar na luta sob a liderança de Amilcar Cabral.

Referindo-se aos 40 anos da independência, Jorge Carlos Fonseca destacou os Combatentes da Liberdade da Pátria e lembrou que muitos ficaram pelo caminho, com destaque para o herói nacional Amílcar Cabral.«Muitos ficaram pelo caminho. Muitos não tiveram o privilégio de comungar do abraço de homem livre cantado por Manel de Novas e engrossaram a fileira dos heróis nacionais desaparecidos, com natural destaque para Amílcar Cabral».

Detendo sobre o significada da data, o Chefe do Estado desafiou que a independência não tem preço. « A Independência não tem preço. Não é negociável, nem pode ser reduzida a qualquer espécie de aritmética. Não é apenas uma questão de justiça, mas encerra um valor essencial que é a dignidade humana. Nenhum povo, nenhum poder, tem o direito de submeter outros à sua governação».

Além de ser um dia de festa, Jorge Carlos Fonseca defendeu que o 5 de Julho deve ser um dia união de todos os cabo-verdianos para vencer os desafios do futuro do país. «Hoje é um dia de festa. Hoje é um dia de união de todos os cabo-verdianos. É essa unidade na diversidade que vai permitir-nos celebrar, comemorar, congregar esforços para enfrentar e vencer os desafios do desenvolvimento inclusivo, do combate às assimetrias regionais e do alargamento e aprofundamento da democracia».

Ainda na sua mensagem à Nação (ver rubrica Registo do Asemanaonline), o Presidente da Republica fez um balanço relativo aos ganhos conseguidos nos diferentes sectores da vida nacional, com destaque para a edução e saúde e o Estado de Direito Democrático. Mesmo assim, alertou para os vários desafios que Cabo Verde tem ainda por vencer, principalmente no que toca ao crescimento económico, à criação de mais emprego para jovens, à melhoria da justiça e ao combate à insegurança e às desigualdades sociais e regionais. Por isso, pede que seja implementada uma série de reformas para a busca de soluções alternativas aos problemas referidos.

ADP

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau