NOS KU NOS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Actriz brasileira Cléo Pires doa 61 mil dólares para projecto de água potável nas escolas 14 Agosto 2015

A actriz brasileira e embaixadora de Boa Vontade da UNESCO Hidro EX, Cléo Pires, acaba de financiar em 61 mil dólares (mais de seis milhões de escudos), de fundos pessoais, o projecto da Comissão Nacional de Cabo Verde para a UNESCO que vai levar água potável, através de bebedores, às escolas secundárias de Alfredo da Cruz Silva (Santa Cruz) e Napoleão Fernandes, em Assomada, Santa Catarina, e à escola do ensino básico de Lavadouro (Praia). Os equipamentos começaram a ser instalados nestas escolas há cerca de duas semanas e tudo ficará pronto no início ano lectivo 2015/2016. Uma “grande generosidade da actriz”, assim considera a secretária executiva da Comissão Nacional de Cabo Verde para a UNESCO, Glória Ribeiro.

Actriz brasileira Cléo Pires doa 61 mil dólares para projecto de água potável nas escolas

“O projecto vai permitir criar infra-estruturas, sobretudo cisternas com capacidade para 18 metros cúbicos, que vão levar água potável aos alunos e funcionários nas escolas, através de bebedores. Esta estrutura de inox possui um sistema de filtragem que irá disponibilizar água purificada e fresquinha nas torneiras”, explica a secretária executiva da Comissão Nacional de Cabo Verde para a UNESCO.

Glória Ribeiro diz que este projecto-piloto é destinado às três escolas de Santiago. “A escola de Santa Cruz com cerca de três mil alunos vai ter seis bebedores com vinte torneiras e um depósito subterrâneo de maior capacidade. A escola de Napoleão Fernandes, com cerca de 1500 estudantes, terá quatro bebedores e 16 torneiras. Já a escola do Lavadouro, com cerca de 800 alunos, vai ter mais 12 torneiras”, especifica aquela responsável, que acrescentou ainda que “serão das poucas escolas que terão bebedores distribuídos ao longo dos corredores”.

“É algo extraordinário na medida em que significa os primeiros passos do que, no futuro deve ser uma prática no nosso país. Penso eu que por várias razões, sobretudo de ordem financeira. E este projecto trouxe outra possibilidade em que os alunos podem levar algumas garrafas de água para casa, o que é um avanço”, considera Ribeiro.

A secretária executiva da Comissão Nacional de Cabo Verde para a UNESCO destaca a simplicidade do projecto frente a algo “tão essencial”, tendo em conta que o acesso à água potável é um direito humano. “Todos nós sabemos das dificuldades que as famílias têm em conseguir água, que muitas vezes não é potável nos meios rurais. Mesmo sendo potável, a água não é purificada, por forma a não trazer perigo à saúde dos alunos ou funcionários”.

Grande generosidade da Cléo Pires

Glória Ribeiro avança que cerca de 60% do investimento já foi disponibilizado pela embaixadora das Águas da UNESCO Hidro Ex, situado em Frutal, Estado de Minas Gerais (Brasil). A previsão é que este projecto esteja concluído para o início do ano lectivo.

“Havia o propósito de inaugurar o projecto em Setembro com a vinda da madrinha Cleo Pires, mas devido a compromissos de agenda só deverá estar em Cabo Verde em Janeiro do próximo ano”, refere Glória Ribeiro que destaca a “grande generosidade” da actriz ao doar, de fundo pessoais, o montante.

“A actriz é de um país rico, mas que é cheio de desigualdades. Com zonas extremamente pobres e com falta de água, como por exemplo, as zonas do nordeste brasileiro e decidiu aplicar a generosidade num país como Cabo Verde", ressalva Glória Ribeiro a quem, conforme o resultado do projecto, assim haverá um novo empenho da Cleo Pires, para solicitar juntos dos seus parceiros, meios financeiros para trazer infra-estruturas para acesso de água a outras escolas.

Por isso, Ribeiro apela ao maior cuidado com os equipamentos, alertando a direcção das escolas a criarem um plano para sensibilizar a comunidade educativa e estudantil. “A UNESCO vai querer ter relatórios frequentes da execução do projecto, uma vez que temos que prestar contas ao financiador e a quem intermediou o financiamento. Temos que provar que o projecto está a ser bem implementando”, sublinha.

Recorde-se que, o projecto de Acesso a Água Potável nas Escolas era uma promessa feita pela actriz Cléo Pires aquando da sua visita a Cabo Verde em Junho de 2013.

O projecto de Acesso de Água Potável nas Escolas

A ideia do projecto Acesso de Água Potável nas Escolas nasceu em 2012, na Praia durante a primeira reunião de um outro projecto de educação sobre a Água no Meio Escolar. Orçado em cerca de 300 mil dólares, o programa da Comissão Nacional de Cabo Verde para a UNESCO que está ainda em fase de discussão, visa introduzir o tema da água, de forma mais aprofundada, nos currículos não só nas escolas de Cabo Verde, como também nos países dos PALOP.

Cabo Verde co-participa no projecto com cerca 60 mil dólares, obtidos em parceira privada (Vivo Energy, Enacol, CVTelecom e Técnicos Industrias). A UNESCO tem envidado esforços para que a questão da água traga a paz e não conflitos, futuramente. A este propósito cerca de 22% do seu orçamento (600 milhões de colares) é destinado a este sector.

AN

Foto: Divulgação

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau