INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Alemanha: Protestos contra o G20 deixam ao menos 250 feridos em Hamburgo 07 Julho 2017

Ao menos 250 pessoas ficaram feridas durante protesto contra a reunião da cúpula do G20 , em Hamburgo, na Alemanha, nesta sexta-feira (7). De acordo com o jornal alemão Spiegel , 150 agentes de segurança estão entre os feridos, enquanto as demais 100 vítimas da violência são manifestantes.

Alemanha: Protestos contra o G20 deixam ao menos 250 feridos em Hamburgo

Manifestantes anticapitalismo atearam fogo em 20 carros e depredaram bancos e pequenos comércios durante protesto contra a reunião dos líderes das maiores economias do mundo ( G20 ), iniciada oficialmente nesta sexta-feira. As forças policiais utilizaram canhões de água para expulsar os manifestantes adeptos da tática black bloc.

A primeira-dama dos Estados Unidos, Melania Trump , chegou a ser impedida por manifestantes de deixar o hotel no qual está hospedada para comparecer à abertura do encontro em Hamburgo. Um porta-voz da primeira-dama norte-americana informou que ela não conseguiu deixar a residência por "motivos de segurança". "Não recebemos o ’ok’ da polícia para deixar a casa", informou.

Outros grupos realizaram protestos contra o encontro de líderes mundiais. As vias próximas ao centro de conferência que recebe autoridades como os presidentes Michel Temer, Donald Trump (EUA), Vladimir Putin (RUS) e Angela Merkel (ALE) foram tomadas por manifestantes que realizaram passeata pacífica nesta sexta-feira.

A cúpula

Criado em 1999, na esteira de várias crises económicas da década de 1990, o G20 é um fórum de cooperação e consulta sobre assuntos internacionais.

Embora o número induza ao entendimento de vinte países, o G20 conta com 19 Estados em sua estrutura. O vigésimo integrante é um bloco, a União Europeia.

Além da UE, o G20 é composto por África do Sul, Alemanha, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, Canadá, China, Coreia do Sul, Estados Unidos, França, Índia,Indonésia, Itália, Japão, México, Reino Unido, Rússia e Turquia. A população que vive nesses países corresponde a 66% do total mundial.

Ao longo do encontro, a chanceler alemã, Angela Merkel, tentará obter um consenso da maior parte dos países sobre a reafirmação do Acordo de Paris, tema que ganhou mais destaque após o anúncio da saída dos Estados Unidos por Donald Trump. Os membros do G20 respondem por 81% das emissões.

Firmado em 2015, após mais de 10 anos de negociações infrutíferas para mitigar o efeito da atividade económica no clima, o tratado foi assinado por 195 países e ratificado por 147, responsáveis por 80% das emissões de gases – 165 metas de redução já foram submetidas. Apenas Síria e Nicarágua ficaram de fora na época. Fontes: iG com agências.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau