LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Angola: Mais de 9 milhões de angolanos vão às urnas para eleger o parlamento e novo presidente 23 Agosto 2017

A votação para as eleições gerais em Angola iniciou-se à 07:00 (07.00 H, hora de Lisboa; 03.00 H, hora de Brasília). “Já se vota em Angola desde as sete da manhã”, disse a porta-voz da Comissão Nacional de Eleições (CNE), Júlia Ferreira. Mais de 9,3 milhões de angolanos estão inscritos para as eleições gerais.

Angola: Mais de 9 milhões de angolanos vão às urnas para eleger o parlamento e novo presidente

Das eleições, que decorrem até às 18.00H ( hora local), sairão os 220 deputados que irão ter assento na Assembleia Nacional.

Na última legislatura, o parlamento angolano tinha maioria absoluta do MPLA, com 175 deputados. Da oposição parlamentar, tinham assento na Assembleia 32 parlamentares da Unita, 8 da CASA-CE, 3 do PRS, 2 da FNLA e 11 de outras formações.
Além das eleições legislativas, por voto direto, os angolanos escolhem, indiretamente, o presidente e o vice-presidente da República, que serão o primeiro e o segundo colocado da lista mais votada entre as apresentadas pelas seis forças políticas que disputam as quartas eleições em Angola desde a proclamação da independência do país, a 11 de novembro de 1975.

Pela primeira vez, o presidente cessante, José Eduardo dos Santos, líder do MPLA, partido no poder desde a independência, não é candidato, tendo indicado o general João Lourenço, até recentemente ministro da Defesa.

Perante um forte aparato de segurança e mediático, José Eduardo dos Santos, que completa este mês 75 anos, votou, juntamente com a mulher, Ana Paula dos Santos, na escola primária de São José de Clunny, centro de Luanda, onde funciona a Assembleia de Voto n.º 1047, informa a agência Lusa.

Além do partido no poder (MPLA) e do principal partido da oposição (UNITA), participam também a Convergência Ampla de Salvação de Angola-Coligação Eleitoral (CASA-CE), a terceira força política nacional, o Partido de Renovação Social (PRS), a Frente Nacional para a Libertação de Angola (FNLA) e a Aliança Patriótica Nacional (APN).

Para o escrutínio presidencial, João Lourenço, do MPLA, disputa com Isaías Samakuva, da UNITA (União Nacional para a Independência Total de Angola), Abel Epalanga Chivukuvu, da CASA-CE, Benedito Daniel (PRS), Lucas Ngonda (FNLA) e Quintino Moreira (APN).

Estas são as quartas eleições em Angola desde a independência de Portugal em 11 de novembro de 1975, quando o país abraçou o sistema de partido único que durou até maio de 1991.

As edições anteriores realizaram-se sucessivamente em 1992, 2008 e 2012, todas elas ganhas pelo MPLA do presidente José Eduardo dos Santos. Fontes: Lusa/Panapress

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau