CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Artesão lança carteiras e bolsas confeccionadas com tecido africano 13 Abril 2016

O artesão santantonense Carlos Alberto Gomes Lopes, eleito “Jovem Empreendedor de Sucesso” na Ribeira Grande, prepara-se para lançar no mercado nacional e internacional mais uma colecção de peças de arte confeccionada com “tecidos africanos, incluindo pano di terra” e “Fibra de Folha de Bananeira”, com cores aliciantes.

Artesão lança carteiras e bolsas confeccionadas com tecido africano

A colecção de Carlos Lopes é constituída por peças inéditas, com a sua marca “Sodade de nhe Terra”. São carteiras, bolsas-de-mão de modelos diferentes e uma nova criação, sapatos para mulheres, confeccionadas na base de um casamento perfeito entre “tecidos africanos, incluindo pano di terra de Santiago” e “fibra de folha de bananeira” de Santo Antão.

“Para a minha próxima exposição vou levar outras peças, com o propósito de mostrar às pessoas a origem da técnica para confeccionar carteiras, bolsas-de-mão e sapatos para mulheres, com esses materiais. Devido às exigências técnicas e o custo dos materiais, o preço dessas peças poderá vir a oscilar entre 1.500 e 7 mil escudos", explica Carlos Lopes.

“Como cabo-verdiano, tenho de ser criativo. Por isso, cada peça tem vida e é única”, esclarece o artesão santantonense, garantindo que as peças da nova colecção têm qualidade e são resistentes, não só para satisfazer as exigências dos clientes, como também para enfrentar a concorrência no mercado e garantir a sustentabilidade da marca.

Carlos Lopes garante que a exposição continua a fazer parte do projecto que idealizou há muito tempo, denominado “Cara de Santo Antão”, ainda sem financiamento. “Mas porque fui eleito Jovem Empreendedor de Sucesso na Ribeira Grande, tenho o dever de mostrar que, quando há motivação, vocação e espírito de sacrifícios, tudo é possível”.

Artesão e pintor de profissão, Carlos Alberto Gomes Lopes tem 32 anos e há 10 que se dedica ao artesanato. O seu atelier é improvisado numa das salas da sua casa na zona de Penha de França, Ribeira Grande, onde vive.

MN

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau