SOCIAL

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Assaltos a mão armada abalam Mindelo: Meliantes levam 1.300 contos da Cavibel 22 Agosto 2017

A cidade do Mindelo foi surpreenda, na última sexta-feira, com mais um caso de assalto à mão armada – dois num espaço de 30 dias. Desta vez a vitima é uma empregada da firma Cavibel, da qual dois meliantes roubaram nada mais nada menos do que 1.300 contos que tinha para depositar num dos bancos comerciais da ilha.

Assaltos a mão armada abalam Mindelo: Meliantes levam 1.300 contos da Cavibel

As autoridades policiais de S.Vicente estão ainda por capturar os dois suspeitos de terem assaltado a empregada da Cavibel – empresa de bebidas e refrigerantes. Segundo fontes do Asemaonline, tudo indica que os supostos criminosos puseram-se fuga, depois de terem protagonizado o referido assaltado a mão armada em plena luz do dia.

Conforme informações de testemunhas oculares retomadas por outros órgãos da imprensa, foi na última sexta – feira,18, que uma funcionária da Cavibel teve que entregar 1.300 contos a um homem que lhe apontou uma pistola em direcção à cabeça. Descrevem os mesmos interlocutores que foi surpreendida a mulher - que já se encontrava dentro do carro que iria transportá-la até ao banco para fazer a operação de depósito do dinheiro em causa - quando surgiram dois indivíduos com capacetes escuros numa moto. De repetente, um deles desceu do veículo e dirigiu-se à viatura da Cavibel, tendo depois apontado uma pistola à funcionária. O homem armado arrebatou-lhe rapidamente uma bolsa que tinha os cheques e o dinheiro e os dois puseram-se em fuga.

Dois assaltos num mês

O caso está abalar a pacata cidade do Mindelo, já que raramente vinha acontecendo assaltos a mão armada em S.Vicente. Isto atendendo a característica considerada pacífica do seu povo e a pequenez da ilha que dificulta atos de fuga às autoridades.

É que no período de um mês aconteceram dois casos de assaltos graves no Mindelo, em que os supostos meliantes têm optado por usar veículos motorizados para depois fugirem-se - o outro caso ocorreu, no inicio do mês de Agosto, na Casa de Câmbio, que fica nas proximidades da Escola Jorge Barbosa, onde uma funcionária foi assaltada por um cidadão da Nigéria. Este terá levou 500 contos em dinheiro, com a ajuda de um taxista.

Também, no dia 7 de Julho, no Fragata, um homem, com um capacete na cabeça - isto para esconder o rosto e sua identidade, entrou pela porta lateral no quiosque onde se vendem produtos da CVMóvel, junto a Agência Nacional de Viagens frente à Praça D. Luís. Fontes citadas pela Notícias do Norte dizem que o assaltante chegou oito segundos depois de o saco com 700 contos ter sido depositado por um funcionário no referido quiosque, que não dá acesso ao interior do supermercado. Constam que, sem usar armas ou violência, o suposto meliante pegou no saco com dinheiro e saiu. Já ao lado do Café Mindelo, ele tinha lá um cúmplice, que o esperava numa motocicleta para o ajudar no transporte do dinheiro em causa.

Diante dos casos referidos, as vozes críticas do Mindelo defendem uma maior fiscalização da cidade pela Polícia, ao mesmo tempo que aconselham as gerências das instituições financeiras para reforçarem a segurança no momento de realizar operações de levantamento e depósitos de dinheiro junto dos bancos comerciais da ilha do Monte Cara.

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau