ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Bolloré cumpre objectivos para privatização dos Portos de Cabo Verde 05 Mar�o 2016

A equipa de trabalho, constituída por representantes da Unidade de Privatizações e Parcerias Público e Privadas (UPPP), do ministério das Infra-estruturas e da Enapor, garante que a empresa francesa Bolloré, com quem o Estado de Cabo Verde deverá assinar em breve a subconcessão dos portos do Mindelo e da Praia, “reúne as condições necessárias e preencher todos os requisitos do concurso”.

Bolloré cumpre objectivos para privatização dos Portos de Cabo Verde

De acordo com aa equipa de trabalho, é de interesse do Governo alavancar a economia marítima do país que, pela sua potencialidade, passou a ser uma prioridade nacional, através da criação do Cluster do Mar onde a actividade portuária assume um papel de relevância. Iniciou-se então um processo de identificar um parceiro estratégico, com forte know-how, capaz de atrair mercado, realizando investimentos e alavancando a economia marítima e, consequentemente, a economia nacional.

Entretanto, após um longo período de negociação com a empresa turca Yilport, decidiu procurar outro parceiro estratégico. Lançou-se então três concursos internacionais para os portos internacionais da Praia e do Mindelo, onde realizaram os maiores investimentos, além de possibilitarem a arrecadação de recursos financeiros para subsidiar os pequenos portos. Numa segunda fase, seriam concessionados os portos pequenos, que são menos rentáveis, e o porto de Águas Profundas.

Porém foram acrescentados a primeira fase os portos de Palmeira e Sal-Rei, por estarem situados em ilhas com enorme potencial turístico, capazes de atrair fluxos de carga e passageiros. Com esta decisão e sob a coordenação da UPPPP lançou-se em Julho de 2015 o concurso internacional para a subconcessão dos principais portos de Cabo Verde. Um total de 11 empresas manifestaram interesse.

De fora ficaram duas empresas por não cumprirem os requisitos mínimos. A AFC apresentou défice de experiência em operar terminais e a TMB por operar um terminar de contentor com um tráfego de contentores abaixo dos 100 mil toneladas/ano. No caso da Bolloré Africa, para além de cumprir com distinção estes dois critérios, possui capacidade de transacionar um milhão de toneladas de carga geral por ano. Igualmente consegue financiar o projecto – através de capital próprio ou empréstimo num montante mínimo de 15 milhões de euros.

Uma breve visita ao site da empresa http://www.bollore.com, que tem como director executivo, Vicente Bolloré, e vice-presidente Cyrille Bolloré, mostra a dimensão desta holding, que está presente na maior parte dos países da África, mas também em países das Américas, da Europa e da Ásia.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau