ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Buracona de cara nova 26 Novembro 2016

Buracona, um dos pontos turísticos mais visitados da ilha do Sal, está com um novo visual. Beneficia agora de miradouro, trilhas de acesso em madeira, rampas para cadeirantes e idosos, cercado, espaço para vendas de souvenirs, casa de banho público, zona para banho de chuveiro, vestiário, placas informativas e sinaléticas, jardins e restaurante. Os trabalhos da requalificação dessa infra-estrutura enquadram-se na segunda fase do projecto Odje Azul e já recebeu mais de dois mil turistas, duas semanas após a sua inauguração.

Por Sílvia Frederico

Buracona de cara nova

O projecto Odje Azul nasceu do sonho de um jovem salense, hoje um empresário conhecido e respeitado na ilha do Sal. Luciano Teixeira queria uma Buracona digna de ser chamada de ponto turístico, com todas as condições para os visitantes. Em 2007 esboçou um projecto e apresentou-o à Câmara Municipal do Sal. Mas esta não tinha o poder decisório, pois Buracona situa-se numa zona costeira e é uma área protegida, pelo que está sob a alçada do Estado.

Era preciso então redesenhar o projecto para ser apresentado às autoridades competentes. Em 2011, finalmente conseguiu dar início a um novo processo junto da Agência Marítima Portuária (AMP). Um ano depois, cometeu a proeza de pôr um restaurante a funcionar em Buracona, no meio do nada.

Era apenas a primeira fase de um projecto ambicioso, que exigia tempo, paciência, perseverança e muito dinheiro.

Quatro anos depois, após muitas alterações ao projecto, muitas viagens à Praia e ao Mindelo, muitos telefonemas e trocas de mensagens, Luciano Teixeira conseguiu concluir a segunda fase do projecto Odje Azul. E hoje, além do restaurante, Buracona possui um miradouro, rampas de acessos em madeira, zonas verdes, casa de banho público, chuveiros para banhos após uso da piscina natural de água salgada, vestiário, placas informativas e sinaléticas.

Há também um espaço para souvenirs made in Cabo Verde, que convive com os imigrantes da Costa de África que há muito vendem no local peças de artesanato do continente.

Acesso controlado ao Odje Azul

Para evitar acidentes, foi criado um perímetro em torno do Odje Azul, o buraco que esconde o mais precioso segredo da ilha - entre as 11h00 e 12h00, quando os raios de sol incidem na caverna subaquática, de vários metros de profundidade, cria um efeito idílico, o de um olho azul, que faz lembrar o órgão humano.

O acesso ao sítio passa a ser controlado por um guia. São permitidas apenas seis pessoas por vez para presenciar este bonito fenómeno da natureza. “Além de guias, temos também no local nadadores salva-vidas para garantir a segurança dos banhistas”, acrescenta Luciano, sublinhando que todo o projecto passou por um estudo de impacto ambiental.

Nacionais não pagam

Para ter acesso às maravilhas que Buracona oferece e ainda desfrutar do investimento efectuado no local, um turista paga três euros. Já os cabo-verdianos residentes e na diáspora têm acesso livre. Também não pagam os imigrantes, desde que apresentem o cartão de residência.

“Nós não forçamos ninguém a ir ao nosso restaurante. Os nacionais e estrangeiros residentes que queiram visitar Buracona têm acesso livre. Inclusive há uma zona dedicada a piqueniques que podem usar”, informa Luciano Teixeira, que aproveita para convidar todos os cabo-verdianos a conhecerem mais este ponto turístico da ilha do Sal.

Parte do lucro deste investimento reverterá para a Escola do Ensino Básico da Palmeira: “O nosso projecto também tem uma vertente social. Nós fornecemos os produtos frescos, como peixe, verduras, legumes e frutas para a cantina escolar a fim de ajudar a melhorar a dieta alimentar dos alunos daquela escola”.

Alternativas ao Odje Azul

Está ainda em andamento a construção de um espaço verde. Vai se chamar Jardim das ilhas, uma zona onde estará representada a flora de todo o país.

De acordo com o empresário, as plantas características de cada ilha vão ser ali plantadas como “forma de trazer todo o Cabo Verde para mais perto dos turistas”.

“Será criado um espaço de exposição sobre a história e cultura da ilha do Sal com informações fiéis para os turistas. Teremos ainda um ‘Ângulo Azul’ , um espaço onde serão exibidos fotografias e vídeos subaquáticos sobre o Odje Azul. Teremos zonas de degustação de bebidas e pratos nacionais, assim como música ao vivo todos os dias”, informa Luciano Teixeira.
Regona vai receber obras

A próxima etapa do projecto de Teixeira contempla a área contígua de Regona, que será requalificada no mesmo estilo de Buracona, com trilhas de acesso em madeira e miradouro. As obras iniciam já na época do Inverno, estando a inauguração marcada para o verão de 2017.

“Por ser uma zona que só é usada apenas durante três ou quatro meses, no período de verão, vamos começar as obras nos próximos meses para que tenhamos o projecto concluído no mês de Julho. Até lá, toda esta zona costeira estará valorizada e iremos despertar o interesse de turistas do mundo inteiro porque aqui temos paisagens bonitas e fenómenos raros”, acredita.

De referir que o projecto Odje Azul está orçado em 30 milhões de escudos e, neste momento, emprega 22 pessoas. A energia usada é 90% eólica e 10% a diesel. Vai ser também instalada uma ETAR através de uma parceria técnica com a Águas de Ponta Preta (APP, cujos equipamentos já foram adquiridos.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau