ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Cabo Verde acolhe em novembro seminário do Afreximbank 04 Julho 2017

O Banco Africano de Importação e Exportação (Afreximbank) acaba de aceitar o repto lançado pelo Ministro das Finanças, Olavo Correia, em organizar o próximo seminário “Structured Trade Finance” em Cabo Verde. O evento, que se realiza em novembro próximo, trará ao país centenas de banqueiros africanos.

Cabo Verde acolhe em novembro seminário do Afreximbank

O “Structured Trade Finance” destina-se aos banqueiros africanos, e é realizado num pacote de dois anos consecutivos. O último aconteceu na República das Seicheles em que participaram cerca de 300 banqueiros de todo o Continente Africano. Os oradores chegam, entretanto, de todos os cantos do mundo.

Este forúm económico-financeiro foi lançado há 10 anos e já passou por países como Egipto, Etiópia, Nigéria, Zimbábue e Costa do Marfim. É caracterizado como a “arte de pegar num projeto, detetar aonde estão os riscos e dividi-los de certo modo que se torna possível afastá-los de pessoas menos capazes de os dissipar e entrega-los àqueles mais capazes”, conforme o vice-presidente Executivo do Afreximbank, Amr Kamel, aquando da sua recente visita a Cabo Verde. Na prática, explicou a mesma fonte, “é pegar em operações de risco muito elevado (muito comuns em África) e transformá-los em negócios mais aceitáveis”.

De frisar que o Afreximbank é uma instituição Pan-africana, fundada em 1993, da qual Cabo Verde é membro fundador.

A confirmação deste seminário foi recentemente dada ao Ministro das Finanças aquando da deslocação ao Ruanda, onde foi participar na 24ª Assembleia Geral dos accionistas do Afreximbank (decorreu de 26 de junho a 01 de julho). Esta missão foi uma importante oportunidade para o reforço da cooperação entre Cabo Verde e esta importante instituição Pan-africana.

Segundo o governo, foi também uma boa ocasião para reforçar o interesse do nosso país em receber a próxima Assembleia Geral dos Accionistas da Afreximbank (o evento maior desta instituição). A nossa candidatura, diz o Palácio da Várzea, está a ser considerada, uma vez que Cabo Verde reúne os requisitos necessários para alojar um evento desta envergadura. A confirmar-se, será já no próximo ano, e deverá ser mais uma oportunidade para o sector privado nacional, visto que é atendida por diversas instituições financeiras.

Esta deslocação de Olavo Correia a Ruanda foi também uma oportunidade para o país aprofundar as suas relações com importantes parceiros. O ministro reuniu-se com os seus homólogos do Ruanda e das Seicheles e ainda com grandes investidores africanos, com vista à mobilização de financiamentos para Cabo Verde, como foi o caso do Ruanda Development Board, com quem temos boas perspectivas de cooperação e que se poderão, conforme o governo, concretizar-se brevemente.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau