ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Cabo Verde adere ao Centro Científico financiado pela Alemanha 02 Fevereiro 2017

Cabo Verde acaba de aderir ao Centro de Serviço Científico da África Ocidental sobre Mudanças Climáticas e Uso Adaptado do Solo (WASCAL) que envolve 10 países da África Ocidental. Esse organismo é financiado pela Alemanha e tem como propósito promover investigação em alterações climáticas e uso dos solos e da água.

Cabo Verde adere ao Centro Científico financiado pela Alemanha

Segundo o site “Deutsche Welle-DW", Cabo Verde é o mais novo membro do “WASCAL”, organismo financiado pelo Ministério da Educação e Investigação da Alemanha. O acordo que formalizou a entrada do Arquipélago no Centro foi assinado, na Cidade da Praia, no fim de Janeiro último.

O “WASCAL” foi criado em 2012, visa promover a partilha de conhecimentos científicos na área de mudanças climáticas e uso adaptado do solo e integra actualmente 10 países da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO). Mas propõe atingir um total de 15 nações africanas.

Os actuais membros do “WASCAL” pertencentes a “CEDEAO” são: o Senegal, Gâmbia, Mali, Burkina Faso, Costa do Marfim, Gana, Togo, Benim, Níger e Nigéria, sendo Cabo Verde o mais recente membro.

A ministra da Educação, Família, Inclusão Social, Ensino Superior e Ciência (MEFIESC) de Cabo Verde, Maritza Rosabal, um dos signatários do documento, sublinhou que o país passa a beneficiar das melhores práticas internacionais em matéria de mudanças climáticas e uso adaptado de solos.

“Com a adesão do Arquipélago ao Centro de Serviço Científico da África Ocidental sobre Mudanças Climáticas e Uso Adaptado do Solo, o país poderá beneficiar, não só a nível da educação, mas também de outras áreas. Este acordo irá beneficiar, entre outras áreas, o meio ambiente, os solos e questões ligadas ao mar que são estratégicas para o desenvolvimento de Cabo Verde", afirmou Maritza Rosabal.

A ministra Maritza Rosabal entende que, o “WASCAL” não só vai permitir a partilha de conhecimentos científicos entre os países membros e a Alemanha, como também será mais um elemento de integração de Cabo Verde na África Ocidental. "A adesão ao centro também tem uma outra importância muito significativa para este Governo, pois se trata de mais um elemento de integração na sub-região", alega.

Por outro lado, o presidente do conselho directivo do “WASCAL”, Peter Dery, mostrou-se satisfeito pela rapidez dos trabalhos relacionados com o processo de adesão e pelo interesse e empenho do Governo cabo-verdiano na sua concretização.

"Abordamos também a questão marinha através do projecto Geomar (Instituto GEOMAR – Centro Helmholts alemão) e, brevemente, vamos enviar uma delegação do “WASCAL” que virá trabalhar com os técnicos cabo-verdianos, para estudarmos a melhor forma de implementarmos este projecto", adiantou Peter Dery.

Segundo os especialistas, Cabo Verde, como país saheliano fustigado frequentemente por secas e com pouco solo disponível para a agricultura, sempre esteve interessado em projectos ou iniciativas capazes de mitigar os efeitos das mudanças climáticas através de uma utilização mais adequada do solo.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau