ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

INECV: Crescimento económico acelerou no final de 2017 20 Janeiro 2018

O ritmo de crescimento económico no país continua a acelerar no último trimestre de 2017, registando o valor mais alto dos últimos trinta e sete trimestres consecutivos, segundo o inquérito recentemente divulgado pelo INE-CV. Uma evolução que, para os empresários de diversos sectores da economia, a conjuntura económica foi favorável neste periodo.

INECV: Crescimento económico acelerou no final de 2017

De acordo com este levantamento feito pelo Instituto Nacional das Estatísticas de Cabo Verde (INE-CV), durante o 4º trimestre de 2017 constata-se que o indicador do clima económico manteve a tendência ascendente dos últimos trimestres, ou seja, o ritmo de crescimento económico continua a acelerar no último trimestre do ano em análise.

O indicador registou o valor mais alto dos últimos trinta e sete (37) trimestres consecutivos, tendo evoluído positivamente relativamente ao mesmo período do ano 2016, revelando que a conjuntura económica é favorável.

Este diagnóstico conjuntural resulta da síntese das apreciações transmitidas pelos empresários da construção, do comércio em estabelecimentos, do turismo, da indústria transformadora e dos transportes e serviços auxiliares aos transportes.

Sector do Comércio em Estabelecimento

O indicador de confiança registado no sector de Comércio em Estabelecimento, aponta para o valor mais alto dos últimos vinte e três trimestres consecutivos, evoluindo positivamente face ao mesmo período do ano 2016, a conjuntura económica no sector é favorável. “Entretanto, no decorrer do quarto trimestre de 2017, a insuficiência da procura e as dificuldades financeiras foram os principais constrangimentos do sector”.

Sector de Turismo

O mesmo estudo revela que no quarto trimestre 2017, o indicador de confiança contrariou a tendência ascendente do último trimestre. No entanto, o indicador situa acima da média da série e evoluiu favoravelmente relativamente ao trimestre homólogo, o que permite anunciar que a conjuntura no sector é favorável.

Contudo, durante o último trimestre do ano transacto, os empresários apontaram como principais dificuldades neste sector, a falta de pessoal com formação apropriada e o excesso de burocracia e regulamentações estatais.

Construção

Para este sector, o indicador de confiança manteve a tendência descendente do último trimestre, situando acima da média da série e evoluindo positivamente face ao trimestre homólogo, demonstrando que a conjuntura no sector é favorável. Os empresários apontaram as dificuldades na obtenção de crédito bancário e o excesso de burocracia e regulamentações estatais como sendo os principais constrangimentos da área.

Comércio em Feira

O indicador de confiança e relação ao Comércio e Feira evoluiu negativamente face ao trimestre homólogo, permitindo advertir que a conjuntura no sector é desfavorável.

Indústria Transformadora

O indicador de confiança da Indústria Transformadora, segundo INE-CV, registou o valor mais alto dos últimos nove trimestres consecutivos, evoluindo favoravelmente face ao trimestre homólogo. Neste caso, a conjuntura no sector é tido como sendo favorável. Conforme os empresários, as frequentes avarias mecânicas nos equipamentos e a falta de matérias-primas foram os principais constrangimentos do sector no decorrer do quarto trimestre 2017.

Sector dos Transporte e Serviços Auxiliares aos Transportes

De acordo com os resultados obtidos no 4º trimestre do ano transacto, o indicador de confiança manteve a tendência ascendente dos últimos trimestres, registando o valor mais alto dos últimos vinte e um trimestres consecutivos, sendo a conjuntura no sector, bastante favorável. “No caso concreto, o indicador de confiança evoluiu positivamente relativamente ao mesmo período do ano 2016. Esta evolução favorável deveu-se ao comportamento positivo das variáveis actividade actual e perspectiva actividade face ao trimestre homólogo”.

Segundo os empresários, as fracas condições financeiras e dificuldades na obtenção de créditos bancários foram os principais constrangimentos do sector no decorrer do último trimestre 2017. Entretanto, para os próximos três meses perspectivam um aumento da actividade das empresas e diminuição do volume de emprego, face ao trimestre homólogo.

De relembrar que o inquérito de conjuntura é um instrumento efectivo de análise e interpretação da evolução da actividade económica no curto prazo. As questões, conforme o INE-CV, são de carácter qualitativo e reflectem as opiniões dos empresários sobre a situação geral das suas empresas, o comportamento de algumas variáveis significativas e também sobre as expectativas e relação às áreas do Comércio em Estabelecimentos, Turismo, Comércio em Feira, Turismo, Construção, Indústria Transformadora e Transportes e Serviços Auxiliares aos Transportes.

Celso Lobo

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau