Editorial

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Cabo Verde e sinais preocupantes da governação 18 Setembro 2017

Cabo Verde está a viver uma situação preocupante neste momento com o surgimento, nos últimos dias, de vários problemas – vamos focar três deles - que têm inquietado a sociedade cabo-verdiana. Um facto que, segundo os críticos, vem aumentado a decepção de muitos cabo-verdianos em relação ao Governo de Ulisses Correia e Silva em cumprir as várias promessas que fez durante as últimas campanhas eleitorais.

Cabo Verde e sinais preocupantes da governação

I – Insegurança com envolvimento de polícias

O país registou casos complexos que têm evidenciado o clima de insegurança que se vive nas ilhas. O mais grave aconteceu com o anúncio de envolvimento de alguns agentes de polícias (Brigada da Investigação Criminal e Polícia Fiscal) em assaltos a mão armada em Santiago. Felizmente a PJ já está a investigar tais crimes graves, que põem em causa a imagem da Polícia Nacional e a segurança do Estado.

2- Mais de 200 casos de Paludismo com dois mortos

O Ministério da Saúde está, por seu lado, a sair muito mal na fita com o recente surto do paludismo que assola o país. Diante da incapacidade dos serviços centrais e regionais em trabalhar com a eficácia necessária na prevenção, no combate e no acompanhamento da doença, regista-se mais de 207 casos, com dois óbitos: um na Praia e o outro no Mindelo. A situação é grave, exigindo do Governo politicas públicas activas rápidas para travar o actual surto da malária, que está a inquietar a sociedade cabo-verdiana, com destaque para os residentes da Capital. O mesmo se espera por parte dos cidadãos, que devem também participar e colaborar com as entidades competentes no combate da doença, principalmente na Praia.

3.Crise no sector dos Transportes e isolamento de ilhas

Segundo a opinião generalizada, o Governo da República deu, ultimamente, sinais fortes de desnorte no sector dos transportes – rotas marítimas e aéreas - que está a passar por uma crise profunda e grave. Com o processo em curso para a privatização da TACV, os passageiros nacionais viveram momentos nunca vistos em Cabo Verde: passaram semanas frente às instalações da companhia para conseguirem a confirmação das passagens, principalmente as internacionais que foram canceladas por avaria no único aparelho para rota internacional da companhia. Já no sector marítimo, a situação é de caos total. O clímax do laxismo por parte do governo - através dos Ministérios de Eunice Silva e José Gonçalves - na área aconteceu com o isolamento total da Brava por duas semanas. Uma situação que provocou uma manifestação de protesto na cidade da Nova Cintra contra o Governo do MpD e a Câmara de Orlando Balla.

4. Governação e medidas

Apesar de algumas medidas tomadas em ralação aos problemas referidos – actuação da justiça, reposição dos voos da TACV Internacional que custam mais de 200 mil contos ao Tesouro Público, retoma da ligação marítima diária Praia-Fogo-Brava pelo navio Praia d’Aguada – a situação, segundo analistas atentos, está, a par dos elevados prejuízos causados aos operadores económicos e à população em geral da região sul, longe de ser normal neste momento. Isto diante de sinais de desnorte por parte do actual Governo do MpD em relação aos sectores referidos.

Enfim, o que se comenta, por todos os lados, é que Cabo Verde não vai bem e se o Primeiro-Ministro não tomar medidas urgentes, com destaque para a remodelação do Governo, pode cair cada vez mais em descrédito perante as promessas feitas durante a campanha eleitoral e correr o risco de fazer, conforme alertam alguns analistas, um único mandato enquanto chefe do Governo da República. Fica o aviso!

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau