ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Cabo Verde está a importar e a exportar mais 29 Julho 2015

Cabo Verde está a importar e a exportar mais. Em contrapartida, as reexportações diminuíram, indicam os dados do comércio externo apurados pelo Instituto Nacional de Estatística. As importações cresceram 7,2% e as exportações 30,8%. Já as reexportações registaram uma quebra de 49,4%. O défice da balança de pagamento aumentou 4,9% enquanto a taxa de cobertura fixou-se em 10,7%, ou seja, dois pontos percentuais (p.p) acima do valor do trimestre homólogo de 2014.

Cabo Verde está a importar e a exportar mais

Os dados do comércio externo indicam que a Europa continua a ser o principal cliente de Cabo Verde, absorvendo 95,7% do total das exportações nacionais. Em comparação com o segundo trimestre do ano passado, as exportações para esta zona económica, aumentaram 31%. Para os outros continentes também registou-se uma evolução positiva, excepto para a África que teve uma variação negativa de 1,2%.

A Espanha é o maior receptor dos produtos de Cabo Verde, tendo registado um aumento de 48,2% nas exportações que tiveram esse país como destino - recebeu 77,6% dos bens que estas ilhas conseguiram exportar. Com isso, o peso do Reino de Espanha aumentou 9,1 p.p. face ao trimestre homólogo. Já Portugal reduziu o seu peso em 3 p.p., passando de 15,2% para 18,3%, mas manteve a segunda posição na estrutura das exportações. Itália ocupa o terceiro lugar.

Cabo Verde exportou sobretudo peixes, crustáceos e moluscos, que representaram 42,8% do volume global. O aumento foi de 124,3%, quando comparado com o mesmo período de 2014. As conservas de peixes também contribuíram com 41%.

Importação

As importações aumentaram 7,2% no segundo trimestre, face ao mesmo período de 2014. A Europa é também o principal fornecedor de Cabo Verde, com 79,1% do total, tendo registado uma evolução de 9%.

As importações de África diminuíram 14,2% e as da Ásia 31,9%, enquanto as da América aumentaram 63,9%, quando comparadas com o mesmo período de 2014. Portugal mantém a liderança entre os fornecedores do mercado cabo-verdiano, com 43,2% do total das importações de Cabo Verde, tendo registado um aumento de 18,4%, no segundo trimestre de 2015, comparativamente ao mesmo período do ano anterior. Em segundo lugar estão os Países Baixos com 13,9%, não obstante a queda de 3,1p.p. Os Países Baixos e a Espanha tiveram evolução negativa.

Os dez principais produtos comprados lá fora atingiram 52,9% do total das importações do país, contra os 51,5% alcançados no período homólogo de 2014. No período em apreço, constata-se, que, veículos automóveis (61,1%), óleos e azeites (52,7%), arroz (39,5%) e reactores e caldeiras (33,1%) registaram as subidas mais expressivas, enquanto que, combustíveis (-10,3%) e cimentos (-9,7%), estão entre os produtos cujos montantes registaram descidas dignas de realce.

As importações de bens de consumo e Intermédios tiveram evolução positiva. Os combustíveis e bens de capital evoluíram negativamente. Como resultado, ocorreram alterações no peso de cada categoria, com os bens de consumo e intermédios a melhor a sua posição em detrimento das demais categorias.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau