NOS KU NOS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Cabo Verde invadido por nova praga: Autoridades criam “task-force” e plano para combater a espécie 15 Julho 2017

O Ministério de Agricultura e Ambiente suspeita da chegada ao arquipélago de uma praga “muito mais devastadora e preocupante”, conhecida por lagarta-de-cartucho-de-milho, ou cientificamente por “spodoptera frugiperda”. Por isso, alerta aos agricultores para tomarem as precauções devidas com a espécie em causa.

Cabo Verde  invadido por  nova praga: Autoridades criam “task-force” e plano  para combater a espécie

O anúncio foi feito, hoje(14) em conferência de imprensa, na Cidade da Praia, pelo director-geral da Agricultura e Ambiente, José Teixeira, e pela presidente do Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento Agrário (INIDA), Ângela Moreno.

“Este ano, para além dos habituais bio-degradadores que normalmente surgem durante o período das chuvas, Cabo Verde enfrenta o surgimento de uma nova praga muito mais devastadora que nos preocupa”, disse José Teixeira citado pela Inforpress, quando abordava a campanha agrícola e fitossanitária, que inclui o seguimento e avaliação do ano agrícola 2016-2017.

Para o controlo desta praga, afirmou que o Governo, em articulação com os parceiros internacionais, nomeadamente a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EmBrapa), criou um “task-force” e elaborou já um plano de intervenção.

“Logo, que nós inteiramos do suposto surgimento dessa praga em Cabo Verde (…), solicitamos um encontro com o chefe da Divisão da FAO para assuntos ligados à protecção vegetal”, informou, acrescentado que receberam toda a garantia para ajudar o arquipélago nesse desafio, que é também regional.

Ainda segundo a Inforpress, a presidente do INIDA falou, por seu turno, do surgimento da “suposta desconfiança” de que há uma nova praga no país, pois fez questão de realçar que a mesma será confirmada ou não, nos próximos dias.
“Ela tem sido uma das pragas muito tímida a nível mundial, sobretudo nas Américas. Surgiu no continente americano e hoje quase todos os países deste continente sofrem com esta praga, chegou a África em 2016, detectado pela primeira vez em Nigéria”, explicou.

A presidente do INIDA adiantou também que o ministério já está em contacto com outras instituições africanas com competência para declarar se Cabo Verde tem ou não a praga.

“De todas as formas, as características são completamente iguais ou muito parecidas e brevemente, poderemos confirmar, absolutamente, se já temos esta praga”, enfatizou.

Para Ângela Moreno, esta praga é “inquietante”, uma vez que ataca as plantas do princípio até o fim, ou seja, desde o crescimento, a floração até a fortificação. Por isso, avançou que caso se confirmem as suspeitas, serão causados “sérios danos”, refere a agência cabo-verdiana de notícias.

Considerou ainda que, este ano, as preocupações por parte das autoridades serão redobradas, visto que a lagarta-de-cartucho-de-milho é uma praga que gosta muito do milho e, em Cabo Verde, esta cultura é muito atacada por outros tipos de insectos.

“Spodóptera frugiperda”, conhecida também como “chenille légionnaire”, é uma praga que ataca sobretudo a noite a mais de 100 plantas pertencentes a mais de 27 espécies diferentes.

Zonas suspeitas e natureza da praga

Ribeira Grande de Santo Antão, São Domingos, Calheta, de São Miguel, São Lourenço dos Órgãos e Santa Catarina (Santiago), são algumas das localidades onde há suspeita dessa praga.

Entretanto, segundo vários escritos sobre a matéria, o inseto tem hábito noturno, coloca cerca de 100 ovos, com coloração verde, na parte superior da folha das plantas. Dizem especialistas na área que a fase de ovo dura 3 dias com temperatura 25ºC. Lagartas recém-eclodidas alimentam-se da própria casca do ovo, depois permanecem em repouso entre 2 a 10 horas.

Segundo as mesmas fontes, as lagartas preferem alimentar-se de folhas novas e normalmente encontra-se uma por planta devido ao seu hábito canibal. «As larvas trocam de pele sete vezes e na última ecdise deixam o cartucho, penetram no solo a 0,5 cm de profundidade, onde se transformam em pupas. A fase de pupa dura cerca de 10 a 12 dias nas épocas mais quentes do ano. A longevidade do adulto é de cerca de 12 dias e o ciclo completo da praga é pouco mais de 30 dias»", lê-se no escrito referido, salientando que o lagarta que se suspeita chegar agora a Cabo Verde ataca preferencialmente o cartucho, destruindo-o, principalmente na fase próxima do florescimento –as plantas são cortadas rente ao solo, causando falhas. C/Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau