ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Cabo Verde satisfeito com exclusão de lista "negra" de paraísos fiscais da UE, mas continua na lista cinzenta 06 Dezembro 2017

O ministro dos Negócios Estrangeiros de Cabo Verde congratulou-se com a exclusão do país da lista "negra" de paraísos fiscais elaborada pela União Europeia. Mas o nosso pais continua na lista "cinzenta" de 47 jurisdições que serão reavaliadas, um facto que Luís Filipes Tavares desvaloriza.

Cabo Verde satisfeito com exclusão de lista

"Cabo Verde cumpre as normas internacionais e colabora. Recebemos por parte da União Europeia um conjunto de pedidos sobre a situação fiscal em Cabo Verde, respondemos e assumimos compromissos muito fortes", disse,ontem 05, Luís Filipe Tavares.

"Queremos em matéria fiscal cumprir todas as normas definidas pela União Europeia, que é um parceiro estratégico de Cabo Verde", acrescentou.

O chefe da diplomacia cabo-verdiana reagia ao final da tarde, em conferência de imprensa, à divulgação, em Bruxelas, de uma lista "negra" de paraísos fiscais, consideradas jurisdições não cooperantes, adotada pelos ministros das Finanças da União Europeia (UE),

A "lista negra" inclui Samoa Americana, Bahrein, Barbados, Granada, Guam, Coreia do Sul, Macau, Ilhas Marshall, Mongólia, Namíbia, Palau, Panamá, Santa Lúcia, Samoa, Trinidad e Tobago, Tunísia e Emirados Árabes Unidos.

Cabo Verde e lista cinzenta

Além desta lista de 17 jurisdições consideradas não cooperantes, a UE elaborou uma lista "cinzenta" de 47 jurisdições que se comprometeram a cumprir os critérios exigidos e que serão reavaliadas, entre as quais se conta Cabo Verde.

"Estamos num processo de reforma fiscal importante e vamos adequar o nosso sistema fiscal às normas internacionais, mas temos um caminho ainda longo para fazer e para o consolidar", adiantou o ministro.

Luís Filipe Tavares sublinhou ainda o facto de Cabo Verde estar inserido numa lista de países que colaboram e que estão a trabalhar no sentido de melhorarem os seus sistemas fiscais.

"Essa lista é importante, tem algum significado, mas não é relevante. Há vários países europeus que estão nesta lista, até membros da União Europeia. O mais relevante é que Cabo Verde não consta da lista "negra" porque cumpre rigorosamente aquilo que é considerado fundamental pelo conselho de ministros de Finanças do espaço europeu", reforçou. c/Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau