DESPORTO

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Cabo Verde vence a Zâmbia e segue à frente do grupo F 10 Setembro 2014

A seleção cabo-verdiana de futebol venceu a congénere da Zâmbia por 2-1, em jogo da 2.ª jornada do Grupo F de apuramento ao CAN2015. Zé Luís e Ryan Mendes marcaram para os Tubarões Azuis, Mulenga descontou para os Chipolopolos.

No jogo que marcou a estreia do novo Estádio Nacional de Cabo Verde em jogos oficiais, os Tubarões Azuis receberam os campeões africanos de 2012 apostando em vencer e manter a liderança do Grupo F de apuramento ao CAN2015.

Depois da vitória fora frente ao Níger por 3-1, Rui Águas, selecionador de Cabo Verde, colocou Nivaldo e Platini no onze, para os lugares de Stopira e Nuno Rocha. Os zambianos chegaram cansados a Cabo Verde, depois de uma viagem atribulada que só terminou às seis da manhã desta quarta-feira. Foi chegar, descansar e depois ir para o campo, sem tempo de treino de adaptação ao relvado sintético do Estádio Nacional de Cabo Verde.

Com um estádio quase lotado (muita gente entrou no decorrer da partida), as duas equipas passaram os primeiros 15 minutos em estudo mútuo. O primeiro lance de perigo nasceu no corredor esquerdo dos Tubarões Azuis, o mais perigoso de Cabo Verde. Nivaldo subiu no terreno, descobriu Odair na área mas o médio do Stade Reims perdeu tempo e quando tentou rematar, atirou com a canela, depois de apertado por dois contrários. O mesmo Odair voltou a mostrar toda a sua técnica no minuto seguinte mas o seu cruzamento bateu nas pernas de um defesa.

A resposta da Zâmbia nasceu de um canto... a favor de Cabo Verde. A equipa ficou toda na área, Kalaba correu quase todo o campo, sempre apertado por Nivaldo. O seu remate saiu por cima mas estava dado o primeiro aviso.

Vai que é toda tua, Zé!

Depois entrou-se na "hora Zé Luis". O avançado do SC Braga teve momentos de grande inspiração e esteve em destaque na melhor fase de Cabo Verde. Aos 33 minutos, trilhou o caminho para a história do Estádio Nacional de Cabo Verde. Recebeu a bola de Nivaldo, avançou no terreno e, sem pedir licença, rematou de trivela, de pé esquerdo, fazendo a bola entrar junto ao ângulo da baliza de Mweene. Um golaço que fez explodir de alegria o público no estádio. Era o primeiro golo na nova casa dos Tubarões Azuis.

Mas Zé Luís não ficou-se pelo golo. Aos 36, após canto de Babanco Calu ganhou ao segundo poste e deu para a pequena área onde Zé Luís estoirou para golo. Salvou um defesa em cima da linha de golo. No minuto seguinte, em novo cruzamento, o avançado rematou de cabeça mas apareceu um defensor a tirar a bola em cima da linha de golo. E aos 39, nova oportunidade para o avançado do Braga: recebeu de Babanco, correu para a baliza mas perdeu no duelo com Mweene que fez uma grande defesa.

Cabo Verde exibia créditos frente a campeã africana de 2012 e mostrava que em casa manda o Tubarão. Por esta altura, já o estádio estava quase cheio.

Brinde de Kay e algum nervosismo desnecessário

Os Tubarões Azuis voltaram meio "adormecidos" para o segundo tempo. A vantagem no marcador dava alguma confiança mas era preciso não dar espaço aos perigosos avançados zambianos. O selecionador zambiano já tinha feito entrar o veterano Chris Katongo antes do intervalo, numa mexida que deu frutos. Os Chipolopolos empataram a partida aos 54 minutos por intermédio de Mulenga. Carlitos falhou o corte de cabeça, a bola foi colocada na área, onde Kay antecipou-se para fazer o corte. Mas o defesa central crioulo falhou a bola e esta sobrou para Mulenga que só teve de encostar.

Um golo que intranquilizou os Tubarões e que lançou os Chipolopolos (Balas de cobre) para a sua melhor fase. Aos 59 foi Nivaldo a tirar a bola em cima da linha de golo após Vozinha ter evitado o tento numa defesa incompleta. Depois foi o próprio Vozinha a dar calafrios aos cabo-verdianos, num pontapé de baliza em que colocou a bola diretamente num adversário.

Dedo de treinador: Mucin d´ilha de Madera resolve a passe de Heldon.

Rui Águas, vendo a equipa a perder o controlo da partida, fez entar Ryan Mendes, Heldon e Nuno Rocha para os lugares de Platini (muito apagado), Garry Rodrigues (menos incisivo) e Zé Luís (cansado). Uma mexida com efeito imediato.

Depois de Ryan ter dado o primeiro aviso, Cabo Verde vai chegar ao golo da vitória numa combinação entre os dois baixinhos da frente. Ryan Mendes ganhou nas alturas a Stopila, a bola sobrou para Heldon que correu pelo corredor direito antes de colocar, na hora certa em Ryan Mendes na área. O Mucin d´ilha de Madeira, na Ribeira Bote, só teve de encostar para golo, para júbilo dos quase 15 adeptos presentes no estádio. Minutos depois, em nova diabrura de Ryan, Cabo Verde vai estar perto do terceiro mas Odair atirou por cima após passe brilhante de Ryan Mendes.

Nos minutos finais a Zâmbia tentou o empate com um futebol direto e bolas despejadas para a grande área mas sem sucesso. Após o apito final do árbitro que veio do Senegal, a festa foi cabo-verdiana, no relvado e nas bancadas.

Cabo Verde soma assim seis pontos em dois jogos e lidera o Grupo F, à frente de Moçambique com dois pontos.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau