CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Café do Fogo exportado para Japão 13 Setembro 2016

A firma “Fogo Coffee Spirit ” (FCS) vai embarcar, até ao final da próxima semana, cerca de duas toneladas de café comercial (1.850 quilos) do Fogo para o Japão. A encomenda seguirá por via aérea, estando já reunidas todas as condições para tal. Conforme envolvidos no negócio, a procura do café do Fogo ultrapassa a oferta tanto no mercado nacional como internacional.

Café do Fogo exportado para Japão

O responsável da “Fogo Coffee Spirit ” explica que esta exportação para o Japão acontece dois meses depois da empresa ter enviado quatro toneladas do mesmo café comercial para os Estados Unidos da América – embora esse valor represente apenas 50 por cento do acordo de fornecimento. O incumprimento do acordo deve-se à baixa produção deste ano, segundo Amarílio Baessa que acrescenta que foram exportadas outras três toneladas do produto para a Holanda.

A FCS tinha, em anos anteriores, enviado café do Fogo para países como Rússia, Japão, Holanda, Itália e Alemanha. A firma garante que o processo de exportação respeita todos os parâmetros exigidos pelos Estados Unidos da América e é efectuado mediante o certificado fitossanitário emitido pelo Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA), na ilha do Fogo.

Para os produtores locais, este ano a safra do café é significativamente maior do que a de anos anteriores, quando foram colhidas pouco mais 12 toneladas de café comercial. Do total da produção, cerca de 40% destinam-se aos mercados internacionais. A restante produção será comercializada nos vários pontos do território cabo-verdiano.

A Fogo Coffee Spririt iniciou, em Agosto último, a plantação de quatro mil novos cafeeiros. Além da fixação directa no quadro da política de extensão da área de cultivo para incrementar a produção cafeícola destinada à exportação, a empresa começa esta semana a distribuição gratuita de cinco mil novas plantas aos proprietários que são seus fornecedores.

Cultivado na área montanhosa e fértil do concelho dos Mosteiros, envolto por microclimas, o café do Fogo (biológico) do Morgadio de Monte Queimado – a maior propriedade unificada de produção cafeeira na ilha – foi premiado com a Medalha de Ouro da Exposição Colonial no Porto, em 1934, como “o melhor café do império” português de então.

Em 1917 e 1918, o café do Fogo conquistou os primeiros prémios numa exposição agrícola realizada na Cidade da Praia, além de ter tido uma participação na grande exposição da Índia Portuguesa, em 1954.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau