ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Escândalo BMW: Líder do PP solicita em carta remetida ao Tribunal de Contas a reposição da ordem no “esbanjamento dos recursos públicos” em São Miguel 31 Agosto 2017

O alegado escândalo na compra de uma viatura de funções em São Miguel continua a dar que falar. O líder Partido Popular (PP) voltou hoje (30) à carga, solicitando ao Tribunal de Contas, através de uma carta que remeteu à mesma instituição, “mais acção na reposição da ordem no esbanjamento dos recursos públicos” com a compra de uma viatura BMW por parte do edil de São Miguel, Herménio Fernandes.

Escândalo BMW: Líder do  PP solicita  em carta remetida ao Tribunal de Contas a reposição da ordem no “esbanjamento dos recursos públicos” em São Miguel

O caso em apreço, em que só numa peça editada no Asemanaonline mereceu perto de 300 comentários, está a provocar um autêntico terremoto politico e forte desgaste ao sistema MpD, com destaque para o Governo de Ulisses Correia e Silva. É que este, segundo lembram alguns analistas, criticou duramente, durante a campanha eleitoral, alegados esbanjamentos de recursos públicos por parte dos governos do PAICV e prometeu governar « para as pessoas».

A julgar pelo pulsar da opinião pública e comentários nos órgãos da comunicação social e redes sociais, este negócio de compra do BMW de funções para o edil Herménio Fernandes - já apelidado em meios políticos como sendo o primeiro escândalo cometido com o regresso do MpD ao poder- vai fazer correr muita tinta. Isto porque, segundo fontes deste diário digital, se prevê, para breve, revelações de outros casos idênticos - mas bem piores - em outras Câmaras que que vêm sendo geridas pelo MpD.

Referindo-se ao negócio em si, o PP, na carta que divulgou nesta quarta-feira, diz ser do conhecimento público a compra de um BMW, veículo de gama alta, pelo autarca eleito pelo povo de São Miguel, no valor aproximado de mais ou menos 7 mil contos. Diz tratar-se de um acto que “ostenta sinais de riqueza” num “ município pobre” como é o caso de São Miguel.

Lembra ainda o PP citado pela Inforpress que o contexto económico e social do Município da Calheta de São Miguel é “por demais crítico”, e elenca o ”aumento da taxa do desemprego” e a “dificuldade das famílias” como os principais factores que fazem como que a situação seja “cada vez pior”.

“O presidente da Câmara Municipal de Calheta de São Miguel, ao comprar uma viatura de luxo num município pobre, configura uma afronta, em particular aos munícipes da Calheta e, de uma forma geral, uma afronta a todos os cidadãos desta terra”, lê-se no documento do PP enviado ao Tribunal de Contas.

na mesma carta, o Partido Popular frisa que actua em nome dos 257 munícipes que votaram PP nas eleições municipais de 20 de Setembro de 2016 no concelho de São Miguel, e, por isso, requer a intervenção do Tribunal de Contas para pôr cobro a uma acção que, “apesar de respeitar” a lei, “põe em causa os princípios da probidade administrativa”, refere a agência cabo-verdiana de notícias.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau