POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Chefe do Governo considera que OGE 2018 está “alinhado” com o desenvolvimento sustentável do país 28 Novembro 2017

O chefe do Governo disse hoje,27, que o seu Orçamento para 2018 está “alinhado com o plano estratégico de desenvolvimento sustentável” de Cabo Verde. Ulisses Correia e Silva fez estas considerações durante o debate, que começou, nesta segunda-feira, no Parlamento, sobre o Orçamento de Estado para o próximo ano (ver o discurso na íntegra na rubrica Registo deste site).

Chefe do Governo considera que OGE 2018 está “alinhado” com o desenvolvimento sustentável do país

Segundo Ulisses Correia e Silva, citado pela Inforpres, trata-se de um orçamento “focalizado” no crescimento, na competitividade, no emprego e no desenvolvimento regional e local.

Na perspectiva do primeiro-ministro, é um orçamento que investe na juventude, através da educação, da formação profissional, do empreendedorismo, do emprego, do desporto, nas indústrias criativas e na bonificação de juros para habitação, além de fazer “forte aposta” na dinamização do sector privado e na integração de Cabo Verde na economia mundial.

“Um orçamento que investe na inclusão social e económica das famílias mais desfavorecidas e com dependentes com necessidades especiais”, explicou Correia e Silva, adiantando ainda que este instrumento de gestão do executivo permite investimento nas áreas da saúde, justiça e na segurança, domínios esses, prossegue, “importantes na vida das pessoas e do país”.

Para o primeiro-ministro, em 2018 as despesas com o pessoal da Administração Pública aumentam 9 por cento (%), enquanto a massa salarial subiu 7,6 por cento.

Estes aumentos, explica, derivam da implementação dos estatutos do pessoal na justiça, na educação, na saúde, nas finanças e da regularização de progressões, promoções, reclassificações e subsídios e recrutamentos na Polícia Nacional e Polícia Judiciária, professores, diplomatas, médicos, enfermeiros, magistrados, oficiais de justiça e técnicos e, ainda a regularização da situação de pessoal contratado nas missões diplomáticas.

Conforme a Inforpress, o PM anunciou, por outro lado, que em sede de Concertação Social, o seu Governo vai propor, para o próximo ano, um aumento do salário mínimo nacional para 13.000$00 em linha com o acordo estratégico de médio prazo que se compromete em atingir 15.000$00 até 2021.

Até final deste ano, Correia e Silva anunciou que ficará concluído o processo para a concessão da gestão e exploração do transporte marítimo de passageiros e carga inter-ilhas, já que “existe disponibilidade de instituições financeiras, nomeadamente Afrixembank, para o financiamento de aquisição de barcos”.

“O Estado assumirá o seu papel regulador podendo recorrer a subsidiação de linhas deficitárias não cobertas por linhas rentáveis, no quadro da concessão”, indicou, acrescentando que o seu Governo vai atingir a meta que propôs de um milhão de turistas em 2021.

Com a operacionalização hub na ilha do Sal, sublinha o primeiro-ministro, “que passará pela privatização da TACV e da Cabo Verde Handling, concessão da gestão aeroportuária e melhoria de toda a cadeia de serviços: do serviço das fronteiras, ao free shop”, se vai assistir, em 2018, ao crescimento do negócio aéreo.

“Este crescimento será acompanhado pelos transportes aéreos inter-ilhas e por várias outras ofertas de voos de diversas companhias que já operam nos aeroportos internacionais e outras que pretendem operar”, indicou o primeiro-ministro.

Na perspectiva de Correia e Silva, a “forte aposta” na estruturação e crescimento da economia marítima passa pela criação e operacionalização da Zona Especial da Economia Marítima em S. Vicente., em cooperação com a China.

“O OE 2018 é mais um progresso para atingirmos as metas de crescimento e de emprego fixadas para até o final da legislatura”, concluiu Ulisses Correia e Silva citado pela agencia cabo-verdiana de noticias.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau