POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Concelho de Domingos: Bancada do PAICV acusa Câmara Municipal de gestão danosa e sem transparência 24 Setembro 2017

A bancada do PAICV na Assembleia Municipal convocou a imprensa, esta sexta-feira, 22, para acusar o edil de São Domingos, ilha de Santiago, pela « gestão intransparente e danosa». José Carlos Moniz classifica o desempenho da CMSD e do seu Presidente de "medíocre", durante este primeiro ano de governação, acusando-o ainda de acumular dívidas em milhares de contos às instituições, nomeadamente ao INPS, às Universidades, aos bancos e proprietários de transportes escolares.

Concelho de Domingos: Bancada do PAICV acusa Câmara Municipal de gestão danosa e sem transparência

Para o líder da bancada do PAICV, a Câmara Municipal de São Domingos não deu sinais de querer cumprir as promessas da campanha eleitoral. Este considera que São Domingos é um dos concelhos com maiores problemas e onde a degradação das condições de vida e a pobreza se agudizam cada vez mais.

“O desempregp, a escassez de água, a deficiente iluminação pública e vias de acesso deficitárias, são questões candentes e preocupantes ainda. Tudo porque temos uma Câmara que está a ser gerida sem política e com uma execução orçamental fraca e sem transparência”, aponta.

Mas as críticas do maior partido da oposição não param por aqui. É que, segundo Moniz, muitos jovens do município já perderam oportunidades de terminar a formação superior e de ingressarem no mercado de trabalho, isto porque a Câmara local está com uma dívida de mais de 3 500 contos com as universidades do país.

O PAICV denuncia ainda que os funcionários da Câmara Municipal daquele Concelho estão sem cobertura do Instituto Nacional da Previdência Social (INPS), “sem contar com uma dívida aos bancos, na ordem dos 120 mil contos, fazendo de São Domingos um município hipotecado e comprometido”.

Para além destas inquietações, o líder da bancada do PAICV, José Mioniz aponta como outros problemas que afectam o seu município como a falta de água, inexistência de rede eléctrica em várias localidades, falta de rede de telecomunicações, carência de espaços culturais, infraestruturas desportivas inacabadas, deficientes vias de penetração, a falta de transportes escolares por acumulação de dívidas, entre outras.

A gestão intransparente do orçamento e dos terrenos adquiridos através do crédito bancário constitui outra preocupação do PAICV local. “Até este momento, os munícipes aguardam com ansiedade, uma resposta do Presidente da Câmara sobre as questões relacionadas com aquisição, loteamento e venda de terrenos em Ribeirão Chiqueiro e do processo da construção do campo de futebol de Nora. É evidente que isto está a sair muito caro aos munípes”, assegura.

Posto isso tudo, a bancada do PAICV, através do seu porta-voz, garante que vai solicitar a constituição de uma Comissão de Inquérito, junto da Assembleia Municipal para que o autarca local faça o apuramento da verdade sobre os factos.

“Entretanto, o PAICV não poupará esforços em denunciar todas as irregularidades e estará disponível a apresentar as propostas que possibilitem o desenvolvimento deste nosso município, para que não percamos, ainda mais, o comboio de desenvolvimento”, sustenta.

Refere-se que o Município de São Domingos tem sido governado pelo MpD desde a sua elevação a essa categoria, a 13 de Março de 1993, quando Fernando Jorge Borges presidiu a Comissão Instaladora, que ficou a gerir o município entre 1993 e 1996, altura em que se realizaram as primeiras eleições autárquicas neaquele município.

Celso Lobo

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau