SOCIAL

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Corrupção na Câmara da Praia com rede de falsificação de licenças de táxi: Dois funcionários suspensos e prejuízo de mais de 30 mil contos 16 Fevereiro 2017

Começa a ser evidente a prática da corrupção na Câmara Municipal da Praia (CMP). É que o executivo de Óscar Santos acaba de detectar uma rede de falsificação de licenças de táxi, lesando a autarquia em mais de 30 milhões de escudos. Conhecedores dos meandros desse processo asseveram ao Asemanonline que dois funcionários camarários, cujos nomes não foram ainda revelados, foram suspensos das funções na sequência de um processo disciplinar a que lhes foram instaurados. O caso já está entregue à Polícia Judiciária para efeito de investigação e apuramento de responsabilidades criminais.

Corrupção na Câmara da Praia com rede de falsificação de licenças de táxi: Dois funcionários suspensos e prejuízo de mais de 30 mil contos

O caso está a dar que falar na Capital. As informações ainda são escassas, mas segundo fontes deste diário digital a autarquia já mandou, juntamente com a Direcção dos Serviços dos Transportes Rodoviários e a Polícia de Trânsito, cancelar e prender 30 táxis que, alegadamente operam na Praia com base nas licenças ilegais emitidas pelos suspeitos referidos.

Conforme as mesmas fontes, tudo aponta que os clientes entregavam alguma quantia em dinheiro, directamente aos supostos falsificadores, para, em troca, puderem obter documentos para a licença de táxi encomendada. Como consequência, a Câmara Municipal da Praia contabiliza já, segundo uma fonte ligada ao processo, um prejuízo que ronda os 30 milhões de escudos cabo-verdianos.

O Asemanaonline está em condições de avançar que o caso se encontra sob a investigação pela autoridades judicias e policiais. Para as nossas fontes, há vários trabalhadores da Câmara Municipal envolvidos nesse caso, que está a mexer com a imagem da Câmara da Praia - acontece no momento em peritos do Senegal e Madagáscar estão a avaliar Cabo Verde no tocante ao cumprimento da Convenção das Nações Unidas Contra a Corrupção.

CMP instaura processo

Entretanto, a Câmara Municipal da Praia avança, através de um comunicado, que determinou uma averiguação ao sistema informático de suporte ao serviço de táxi, para verificar ou informar as denúncias efectuadas. Confirma que se apurou que "há indícios de cometimento de várias irregularidades, nomeadamente a reactivação de licenças de táxi suspensas por deliberação da Câmara Municipal há vários anos".

Diante de tudo isto, o executivo camarário da capital informa que foram já adoptadas um conjunto de medidas no sentido de pôr cobro às irregularidades detectadas. Assevera a mesma instituição que determinou de imediato instaurar um processo disciplinar contra os supostos trabalhadores envolvidos no caso, suspender esses mesmos trabalhadores e as licenças concedidas com irregularidades até ao término do processo de averiguações em curso. A CMP informa ainda que já remeteu o caso à Polícia de Investigação Criminal para o apuramento cabal de responsabilidades de todos os envolvidos no crime em causa.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau