SOCIAL

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Criminalidade na Praia: PJ investiga autores de mais duas pessoas sequestradas 15 Setembro 2017

A PJ cabo-verdiana está investigar mais um caso recente de suposto rapto de duas pessoas na cidade da Praia. As vítimas por descobrir são agora uma criança de um mês e sua mãe, que se encontram desaparecidos desde 29 de agosto – há mais de 15 dias - depois de deixaram a casa em Achada Grande Frente para se dirigirem ao Centro de Saúde, no Bairro da Fazenda. Um dos dois suspeitos ouvidos pelo MP encontra-se já em prisão preventiva.

Criminalidade na Praia: PJ investiga autores de mais duas pessoas sequestradas

O país esta novamente inquietante com este novo caso de rapto, que revela o clima de insegurança que se vive na Praia. Um crime que ocorreu pouco tempo depois - cerca de duas semanas - do mediático caso de assalto e sequestro ao Padre Samuel Costa, ocorrido em meados de agosto último na Capital.

Passados que estão mais de 15 dias após o desaparecimento das duas novas vítimas, uma fonte da Judiciária citada pela Inforpress admite que está a ser difícil descobrir o paradeiro da mãe e do filho, ambos supostamente raptados. É que, até ao fecho desta edição, a PJ estava sem pistas fortes para descobrir, o mais rápido possível, os autores deste crime, visto que as duas pessoas ouvidas no Ministério Público não revelaram o local onde os dois desaparecidos podem estar.

TIR e previsão preventiva a suspeitos

A mesma fonte revela que das duas pessoas ouvidas pelo MP, uma jovem ficou em liberdade por ser menor de idade. Já o outro cidadão suspeito - que é um estrangeiro de sexo masculino - foi colocado em prisão preventiva como a primeira medida de coacção decretada pelo Tribunal da Comarca da Praia.

Conforme ainda a agência cabo-verdiana de notícias, a Policia Judiciária apela ao envolvimento da população nessa investigação – alguns sugerem a colocação de fotos deles nas redes sociais. É que esta ajuda, admite a fonte da PJ, será importante para que se possa detetar, o mais rápido possível, o paradeiro da Edine Soares, de 19 anos de idade, e do seu filho Maurício Soares, com um mês de vida. Tudo por se estar perante um caso preocupante e que envolve um menor.

Segundo familiares da Edine, esta jovem saiu de casa em Achada Grande Frente, onde vivia com o companheiro, para levar, no dia 29 de agosto, o filho dela à Delegacia de Saúde na Fazenda, para o controlo de rotina do mesmo bebé. Mas asseveram que nunca mais voltaram a ter qualquer sinal de vida deles – não regressaram à residência nem se sabe onde as vítimas se encontram neste momento.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau