POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Deputado Nuías Silva: São Filipe é o único município do país que não dispõe de um centro de saúde 10 Julho 2017

O Município de São Filipe é o único no país que não dispõe de um centro de saúde e há necessidade da sua construção ou a transformação do antigo hospital regional num centro, disse o deputado do PAICV, Nuías Silva.

Deputado Nuías Silva: São Filipe é o único município do país que não dispõe de um centro de saúde

Esta é uma das constatações verificadas durante a conferência sobre “saúde e segurança social na região Fogo e Brava” promovida, na sexta-feira última, na cidade de Igreja, Mosteiros, pelo grupo parlamentar do PAICV. Tudo com a finalidade de dialogar com a sociedade civil e todos os autores do desenvolvimento local para, segundo o deputado-, a construção de uma verdadeira agenda para a ilha do Fogo.

“A região Fogo e Brava é uma das regiões mais pobres e com menos investimentos per capita em termos de saúde e protecção social e ficou provado que São Filipe é o único concelho em Cabo Verde que não dispõe de um centro de saúde, e que Santa Catarina registou um retrocesso, já que havia sido anunciado, pelo anterior governo, a construção com o Fundo Kuwait, uma delegacia de saúde de raiz”, disse o parlamentar observando que as remodelações no centro de saúde de Cova Figueira não dão vasão à demanda do concelho.

A elevação de algumas Unidades Sanitárias de Base (USB) a postos de saúde e com permanências fixas de enfermeiros, construção de mais USB em zonas descobertas dos três municípios fazem parte das propostas, saídas da conferência.

De acordo com os deputados do PAICV, a realização desta conferencia constitui uma forma de reclamar mais investimentos e a edificação de uma verdadeira região sanitária Fogo e Brava, já que, segundo Nuías Silva, a região foi constituída, mas falta implementar vários órgãos e a sua legalização formal, e sobretudo um dialogo entre a região e as comunidades para satisfazer as necessidades da população.

Nuías Silva disse que as questões recentes devido à transferência de doentes para Praia, também motivou a sua realização numa perspectiva de ver a forma de reduzir o encaminhamento de doentes, observando que na conferência ficou claro que a colocação de alguns especialistas no hospital regional vai minimizar drasticamente o envio de doentes.

Para Nuías Silva o Governo anterior iniciou um processo de desenvolvimento destes sectores e há necessidade de dar a sua continuidade, nomeadamente o processo de implementação da região sanitária que permita dar melhores cuidados de saúde aos cerca de 46 mil habitantes residente e aqueles que demandam a região de forma temporária para terem uma resposta de saúde célere.

Realçou ainda, que apesar de a conferência ter sido organizada pelo PAICV, se pretendeu que o evento fosse da sociedade civil, para auscultar as pessoas e poder defender os reais interesses da ilha e consensualizar aquilo que se quer para o futuro da ilha.

Esta é a segunda conferência realizada pelos deputados do PAICV, sendo que a primeira foi realizada em 2016. Entretanto, têm em agenda a realização de uma terceira, no município de Santa Catarina do Fogo, sobre “turismo e potencialidades agro-pecuárias da ilha”. Fonte: Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau