ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Destaques do Jornal A Semana nº 1190 05 Junho 2015

O Tribunal de Contas condenou o ex-presidente da Câmara Municipal de São Filipe (CMSF), Eugénio Veiga, e mais seis vereadores da sua equipa a devolverem cerca de 2.500 contos aos cofres municipais. Esta é uma das manchetes desta edição do A Semana que chega hoje às bancas. O acórdão a que este jornal teve acesso diz que os ex-autarcas têm três meses, a contar da próxima quarta-feira, 10 de Junho, para repor o montante referente a subsídios atribuídos de “forma indevida” aos técnicos do Gabinete Técnico Municipal e a diversas despesas realizadas e pagas nos anos 2005 e 2006, insuficientemente justificadas. Entretanto, a actual gestão camarária mandou suspender esses pagamentos.

Destaques do Jornal A Semana nº 1190

A abrir as páginas da actualidade, A Semana revela que a inesperada descoberta de largas centenas de autos antigos, que não foram contabilizados antes da digitalização e informatização dos processos-crimes nas comarcas da Praia e do Mindelo, está a atrapalhar as contas ao Conselho de Gestão do Sistema Informático da Justiça. O juiz desembargador Simão Santos explica que, depois de estabelecer um prazo para a conclusão do processo, o CNSIJ foi surpreendido com o envio de um número considerável de outros processos aos técnicos, uns encontrados nos arquivos das Procuradorias, outros na Polícia Judiciária.

A Semana convida a ler uma grande entrevista exclusiva com Cristina Duarte, que analisa a disputa do Banco Africano de Desenvolvimento. A Ministra, candidata vencida na sexta volta, considera que o seu sentimento não é de derrota, muito pelo contrário: "Tivemos visão, ambicionámos, lutámos, e apesar de não termos vencido as eleições, ganhámos. Ganhámos em visibilidade, em dignidade, em credibilidade". A titular da pasta das Finanças destaca ainda o contributo dado pela Cidade da Praia para um “panafricanismo renovado”, rebate as críticas de “manipulação política no ano de pré-campanha” relacionadas com o financiamento da sua candidatura e avisa que está disponível para terminar o seu mandato.

A reportagem é sobre o mestrado em Jornalismo. Um protocolo a ser assinado entre a Associação de Jornalistas (AJOC) e o Instituto Politécnico de Lisboa para a frequência de um curso de mestrado na Escola Superior de Comunicação Social está a dividir opiniões entre a classe jornalística. Enquanto uns vêm essa iniciativa como uma aposta da associação sindical para empoderar a qualificação académica dos profissionais, outros interpretam essa parceria como uma “estratégia” montada para resolver o problema de “status” de jornalistas com largos anos de experiência, mas que nunca concluíram a licenciatura, como mandam os Estatutos dos Jornalistas em vigor. A ideia subjacente ao acordo é abrir a possibilidade para jornalistas sem licenciatura, mas com elevada experiência profissional, passarem directamente para o curso de mestrado. Os críticos torcem o nariz, alegando que a licenciatura é um pré-requisito incontornável para quem quer fazer o mestrado.

Merece destaque a criatividade dos jovens que criaram uma unidade móvel de produção de gelo em S. Vicente e venceram o desemprego. Utilizando os seus conhecimentos em electricidade e informática, pretendem controlar a unidade à distância e, numa fase posterior, utilizar as energias renováveis ou eólicas no seu trabalho. Estão a aguardar o aval da Enapor para instalar a máquina em Santo Antão, mais precisamente no cais do Porto Novo para servir os pescadores locais, que se deslocam com frequência a São Vicente para comprar gelo.

Kriolidade anuncia que Dina Medina lança ainda este ano o quarto disco a solo da sua carreira. Com direcção musical do holandês This Borsten e do cabo-verdiano Toy Vieira, este álbum afasta ainda mais a cantora do cabolove, género que a tornou famosa primeiro ao lado de Gil Semedo e da banda Splash e depois a solo. É uma Dina Medina que começa a mudar com o elogiadíssimo "Mornamente" e que neste novo disco surge quase como uma nova artista nas mornas e coladeiras que pendem para um jazz de inspiração africana com resquícios de pop.

“Contxe” processa Adilson Nascimento. Eis o destaque do Lance, que dá conta que a briga entre “Contxe” e Adilson Nascimento, ambos ligados ao Mindelense, já foi parar às barras do Tribunal. Contxe formalizou duas queixas contra o presidente dos “leões encarnados” no Comando da Polícia Nacional e no Ministério Público, por injúria, difamação, ameaças verbais e física e ainda tentativa de atropelamento.O ex-dirigente do CSM justifica que Adilson Nascimento tem feito acusações graves contra a sua integridade moral e imagem profissional na imprensa, além de ameaças de agressão, que, na sua opinião, não podem ficar impunes.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau