ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Destaques do Jornal A Semana nº 1199 08 Agosto 2015

A decisão do Tribunal da Praia de mandar a julgamento as responsáveis de três farmácias sediadas na capital – Avenida, Moderna e Central –que, segundo a acusação estão implicadas num plano fraudulento que, envolvendo 11 pessoas, burlou o INPS em cerca de um milhão e meio de escudos é a manchete desta edição do A Semana. O processo fala de um esquema que funcionou através de centenas de receitas, facturas e recibos falsos em conluio com quatro médicos. Realizada a Audiência Contraditória Preliminar (ACP), com data do passado dia 30, o despacho da juíza Ana Reis manteve a acusação que o Ministério Público havia formalizado não só em relação ao trio de gestoras, mas também às funcionárias envolvidas no caso.

Destaques do Jornal A Semana nº 1199

A actualidade económica anuncia que o número de títulos cotados na Bolsa de Valores teve uma redução de 3,16% face ao período homólogo de 2014, segundo o Relatório Extensivo de Operações relativo ao primeiro semestre de 2015. As transações no mercado secundário também sofreram uma quebra de cerca de 61%. A capitalização bolsista situou-se em 62 milhões CVE, mntante que representa 35,4% do Produto Interno Bruto (PIB), depois de um ligeiro aumento de 2,6%.

A edição que chega hoje às bancas noticia ainda que, a partir de segunda-feira, 12 de Agosto, entra em vigor a lei da produção de grogue. Para o director-geral do Comércio, Amílcar Monteiro, é o início de uma nova era para essa popular bebida. O diploma incentiva o fabrico tradicional do grogue de cana e penaliza quem introduzir bebidas falsificadas no mercado, ou que utilize a marca “grogue” sem estar licenciado.

Na política, o jornal reporta-se ao "Discurso desconcertante da líder do PAICV, Janira Hopffer Almada no debate sobre o Estado da Nação. A conferir. Num outro registo revela que Clóvis da Silva, jurista e presidente da Comissão Especializada de Assuntos Jurídicos, Direitos Humanos e Comunicação Social da Assembleia Nacional é o nome proposto pela estrutura concelhia da Brava do PAICV para encabeçar a lista local de deputados às legislativas de 2016. A decisão saiu da recente reunião do Conselho do Sector liderado por Lenine Carvalho.

Mas o destaque de A Semana é um Suplemento de 16 paginas que num olhar introspectivo traça um retrato o mais real possível do estado actual da nossa companhia aérea de bandeira - A TACV. Fugindo às especulações, procurando respostas às críticas dos cabo-verdianos, a reportagem de A Semana perscrutou também o futuro da companhia que, no calor da política e dos preços dos bilhetes, fez correr muita tinta por estes dias no país, não faltando quem decretasse a sua falência. Mas na grande entrevista, incluída também neste "Especial TACV", o conselheiro para a Área Comercial, Erik De, garante que a empresa pode chegar ao lucro em menos de quatro anos. Para isso, estão a ser tomadas uma série de medidas que visa mudar a dinâmica da empresa e aumentar a conectividade do país como o mundo. A privatização várias vezes anunciada, mas nunca concretizada, a mudança do centro de conexões da cidade da Praia para a ilha do Sal, as novas rotas, o início dos voos a 17 de Dezembro para Roterdão são outros títulos a mostrar que a TACV está a trocar a gestão política que vigorou há mais de 40 anos por uma gestão meramente empresarial - A começar pela sua entrada na Bolsa de Valores de Cabo Verde para ir buscar dinheiro para os seus próprios investimentos, dinheiro que o Governo não fez entrar na empresa desde 2003. A nossa reportagem foi também ao coração da empresa ouvir o pessoal técnico responsável pela manutenção e segurança, saber da nova confiança dos pilotos, pessoal navegante, operações de voo, segurança e controle, para desvendar o segredo desta pequena/grande companhia, elogiada pela sua performance técnica e pelo alto nível dos seus quadros. Tanto assim é que a nossa TACV faz parte do restrito grupo das cinco companhias africanas que podem voar para o exigente espaço aéreo dos Estados Unidos da América.

Lance revela que a etapa preliminar do campeonato nacional de andebol está agendada para a segunda quinzena de Agosto, mas a FCA ainda não está em condições de avançar datas certas para o início dos jogos tanto em feminino como em masculino. Tudo está dependente neste momento da disponibilidade de lugares nos voos da TACV, segundo “Tchú” Brito, Secretário da Federação Cabo-Verdiana de Andebol.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau