ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Destaques do jornal A Semana nº 1220 04 Mar�o 2016

O jornal A Semana entra no ritmo da campanha eleitoral e, na edição que já está nas bancas, um dia depois do início desta corrida que vai renovar o Governo e o Parlamento, traz caderno especial sobre este processo com um resumo do percurso político e profissional dos seis candidatos a primeiro-ministro: Janira Hopffer Almada (PAICV), Ulisses Correia e Silva (MpD), António Monteiro (UCID), João Além (PSD), José Augusto Fernandes (PTS) e Amândio Barbosa Vicente (Partido Popular).

Destaques do jornal A Semana nº 1220

Revela que o MpD está confiante numa vitória com maioria absoluta. Diz o partido ventoinha que as três semanas de campanha serão pautadas por uma postura “low cost” (austeridade) e em estrito respeito do Código Eleitoral, até porque, segundo o responsável de comunicação do partido, Abraão Vicente, «os dados do MpD apontam para uma vitória absoluta do partido na corrida às urnas do dia 20».

O PAICV garante potência para manter a maioria absoluta. O director nacional desta campanha, Romeu Modesto, diz que os tambarinas vão transmitir mensagens na perspectiva de continuidade da Agenda de Transformação de Cabo Verde e de tudo o que o partido já fez pelo país. Por outro lado, há novas propostas que dão garantias de consolidação em termos económicos, sociais e culturais, além de outras que hoje se impõem, como é o sector das tecnologias e informação.

Do lado da UCID, noticia-se que o partido se insurge contra a compra de consciência e afirma: “O arranque eleitoral começou mal". João Luís, vice-presidente da UCID, que acumula as funções de director nacional da campanha e director da área financeira do partido, critica o facto de as autoridades competentes não tomarem medidas para pôr cobro a irregularidades por parte de outros partidos que, diz, estão a tentar comprar a consciência das pessoas com a distribuição de brindes e ofertas de sacos de cimento, o que é proibido pelo Código Eleitoral.

Estreante nestas andanças, o Partido Popular (PP) prognostica que elegerá pelo menos cinco deputados para a Assembleia Nacional. Amândio Barbosa Vicente acredita que o eleitorado indeciso e os que perderam a confiança no PAICV e no MpD vão votar no seu partido porque, ao contrário dos adversários, os Populares não estão a “enganar o povo”.

Entretanto o PSD, que arrancou em Achadinha, vai defender a educação das crianças e o empoderamento da mulher e das famílias durante esta campanha. O político que dentro de dias será octogenário defende ainda a formação progressiva e espiritual a caminho da verdade, da justiça, do amor e do bem comum. São essas ideias que o candidato João Além está a apresentar aos eleitores durante a sua campanha para o círculo eleitoral de Santiago-Sul.
Refundado, o PTS diz estar pronto para a campanha. A sua conquista de votos começa pelo mercado da Várzea, onde vai estabelecer contactos com os comerciantes informais. Esta opção, conforme o líder do partido, José Augusto Fernandes (Ti Gust), vem na sequência das reclamações feitas pelos rabidantes, que se queixam, em especial, das condições sanitárias do espaço onde têm de exercer a sua actividade comercial. O caderno “Legislativas” traz ainda informações sobre a campanha dos “piquinotis” na ilha do Fogo, os votos antecipados dos reclusos, frases, notas, casos de campanha, humor, de entre outros.

Económico

Mas não só da política se faz este jornal pelo que o Económico informa que empresa nigeriana Africa Finance Corporation (AFC), com sede em Lagos, comprou à InfraCo África —organismo privado integrado no PIDG-Grupo Privado de Desenvolvimento de Infraestruturas — as acções que detinha na Caboeólica. A AFC reforçou assim a sua maioria no capital social desta empresa nacional que aposta no desenvolvimento de energias renováveis.
Na grande reportagem deste caderno, desvenda-se as políticas económicas que os partidos estão a apresentar aos cabo-verdianos e revela que, pela leitura das Plataformas Eleitorais (PE), os principais partidos do arco do poder foram beber das actuais estratégias do Governo. Ninguém assume esta “mudança na continuidade”, sobretudo o MpD, que se posiciona como solução. Mas a PE mostra que o partido não quer “roturas”, o que prova que existe “quase total consenso” quanto às opções de desenvolvimento do país, ainda que com estratégias e «modus operandi» diferentes.

Diz ainda que o Ministério do Turismo e as três Câmaras Municipais de Santo Antão - Paulo, Porto Novo e Ribeira Grande - rubricaram um protocolo para implementar a segunda fase do projecto “Rota d’Aldeias Rurais de Santo Antão”. O projecto tem um financiamento a fundo perdido, num montante acima dos 50 mil contos (52.903.237$00), que corresponde a 60% do total do projecto. O município do Paul, por apresentar um projecto mais ambicioso, ficou com 25 mil contos, Porto Novo com 17 mil contos e Ribeira Grande com 15 mil contos.

Social

Noticia que os herdeiros de Isidoro Silva e Antónia Ramos declaram “guerra aberta”, com ameaças de processo judicial pelo meio, contra o Sector do PAICV no concelho do Porto Novo. Em causa está um alegado abuso de uma habitação em Alto-Mira, construída sobre um terreno cedido por essa família ao partido na década de 70. Alegam que a habitação está transformada num “espaço comercial que já rendeu muito dinheiro” ao PAICV, em detrimento do objectivo inicial que era o de construir uma infraestrutura que servisse de espaço de encontro e lazer aos munícipes. Já o primeiro-secretário do PAICV, Elísio Rocha, desmente as acusações, alegando que se trata de uma informação falsa e de estórias inventadas apenas para o atingirem politicamente, enquanto candidato a deputado nas legislativas pelo círculo eleitoral de Santo Antão.

Esmiuçando as propostas dos partidos políticos para o sector da Justiça, destaca-se a UCID pelas suas ideias “arrojadas”. O partido dos cristãos-democratas defende, por exemplo, o recrutamento de magistrados reformados e a compensação financeira àqueles que participam em actividades remuneratórias. Contudo, conforme um jurista, tais aspectos podem ser paradoxais. Lembra que a oposição sempre criticou a contratação de reformados para a Administração Pública, por impedirem a entrada de jovens licenciados, e que remunerar juízes fora do sistema judicial pode colocar em risco a sua independência. Enfim, cada partido sua “sentença”.

Cultura

Anuncia que começam em breve as gravações do filme “Chandinha”, do realizador cabo-verdiano John Tevec (João Gomes) que venceu a 2ª edição do concurso “Ficção para Televisão”, promovido pela Comunidade de Língua Portuguesa. Apresentou o guião “Chandinha”, inspirado em “Pródiga”, do escritor António Aurélio Gonçalves, que retrata a miséria de São Vicente nos anos 50. “Chandinha” conta a história de uma moça ‘de boa família’ que, por circunstâncias da vida, acaba por cair na prostituição. O financiamento da FICTV deu ao realizador a oportunidade para gravar este filme cujo guião escreveu há mais de 20 anos.

Diz num outro artigo que o edifício do ex-consulado do Reino Unido, em São Vicente, atingiu tão elevado estado de degradação que o muro lateral, sobre a avenida Marginal, ameaça ruir, o que representa um caso de perigo iminente para as pessoas que transitam no local. Pelos seus traços característicos, o edifício com a fachada exterior construída toda ela em madeira conserva o legado histórico do consulado e o papel que desempenhou na dinâmica de edificação da cidade do Mindelo.

Desporto

Dá a conhecer o sorteio do regional de andebol de S. Vicente, que ditou que a equipa masculina do Atlético vai começar a defesa do título regional de S. Vicente frente à formação do Batuque, vice-campeã local. Os atléticos, que venceram o Torneio de Abertura com vitórias sobre todos os adversários, surgem como os grandes favoritos à conquista do campeonato. No entanto, as outras formações estão a trabalhar para contrariar o favoritismo dos actuais campeões nacionais da modalidade.

Revela que S. Vicente já tem uma nova escola de futebol. Trata-se do projecto do internacional cabo-verdiano Nuno Rocha, que vai ensinar as técnicas da modalidade a crianças dos três aos 13 anos da zona de Ribeira d’Craquinha. A escolinha tem tido um impacto positivo e os seus moradores acarinham-na e fazem doações de materiais desportivos.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau