POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Directas no PAICV: Novo líder e Congresso a caminho 14 Dezembro 2014

O PAICV vai a eleições este domingo, para, simultaneamente, realizar dois actos políticos que vão ditar os rumos do partido nos próximos tempos: escolher um novo líder e eleger os 298 delegados – uma parte dos 515 – ao congresso extraordinário que acontece no primeiro mês de 2015. Os quase 30 mil militantes com capacidade eleitoral activa, distribuídos por 400 mesas de voto no País e no estrangeiro, vão escolher entre os projectos de Janira Hopfer Almada, Felisberto Vieira e Cristina Fontes a mudança que querem imprimir na liderança de um partido que já caminha para 14 anos de poder ininterrupto em Cabo Verde.

Directas no PAICV: Novo líder e Congresso a caminho

As urnas abrem este domingo às 9 horas e fecham às 17. A organização espera ter os resultados provisórios poucas horas depois – por volta das 9 da noite. Se nenhum candidato conseguir a maioria absoluta (50% mais um), os dois mais votados vão para o tira-teimas na segunda-volta das eleições.

Frente à disputa acirrada a que se assiste entre os três pretendentes à liderança do Partido do Governo, tudo indica que a taxa de abstenção será residual no escrutínio deste domingo. «Prevemos uma taxa irrisória de abstenção, porque como há muita disputa, os militantes vão votar em massa», avança um dos membros da Comissão Nacional de Eleições (CNE), chefiada por António Fernandes.

A fiscalização de todo o processo eleitoral está a cargo da Comissão Nacional da Jurisdição e Fiscalização, presidida por José António Moreno. «As Comissões Nacionais e as estruturas regionais do partido, em Cabo Verde e na diáspora, estão a trabalhar afincadamente para que as eleições aconteçam na maior normalidade possível», assevera Moreno, que diz esperar a colaboração de todos os candidatos e seus apoiantes neste sentido.

29.443 Inscritos

29.443 é o número de inscritos nos cadernos eleitorais para as directas deste fim-de-semana que devem eleger o novo presidente do PAICV. Entretanto, até ao fecho desta edição a Comissão Nacional da Jurisdição e Fiscalização do PAICV não tinha separado o número de votantes no país dos da diáspora, alegando que tais dados ainda não estavam apurados.

400 mesas de voto.

Estima-se que 400 Mesas de Voto vão assegurar as eleições directas de 14 de Dezembro no país e na diáspora. Cada mesa será composta por três membros efectivos, sendo fiscalizada por igual número de Delegados representando as respectivas candidaturas. Feitas as contas, significa que 2.400 elementos estarão envolvidos no funcionamento dessas Mesas de Voto.

515 delegados ao congresso

O congresso extraordinário do PAICV acontece já em Janeiro de 2015 e vai contar com 515 delegados. Desses, somente 298 serão eleitos nas directas deste domingo, junto com o novo líder do partido. Outros 131 são Delegados Natos, ou seja, membros da direcção das diferentes estruturas do Partido. Os restantes 86 representarão a JPAI e a Federação das Mulheres do PAICV na magna reunião.

Mais de 10 mil subscritores

Perto de 11 mil militantes subscreveram as candidaturas dos três concorrentes à sucessão de José Maria Neves. Essa cifra representa perto de um terço do total dos membros recenseados. A lista de Janira Hopffer Almada contou com 6.802 apoiantes, a de Felisberto Vieira com cerca de 3 mil assinaturas enquanto a de Cristina Fontes rondou os 1.300 subscritores.

Ordem dos candidatos nos boletins de voto

O sorteio realizado pela Comissão Nacional de Eleições no dia 2, ordenou os candidatos no Boletim de Voto da seguinte forma: Janira Hopffer Almada em primeiro lugar, Felisberto Vieira no meio e Cristina Fontes na última posição. O Boletim tem a cor branca e os militantes devem colocar a cruz no meio do quadrado que fica ao lado da foto do seu candidato de eleição.

Votação dos candidatos

Os três candidatos vão votar na Cidade da Praia e nas zonas onde estão implantadas as suas estruturas de base. Felisberto Vieira exercerá o seu direito de voto às 10 horas deste domingo, na Mesa da Escola Técnica, em Achada Santo António. Filú far-se-á acompanhar da esposa e dos membros da direcção da sua campanha. Cristina Fontes votará também às 10 horas, no Liceu Abílio Duarte, Palmarejo, na companhia dos coordenadores da sua campanha. Janira Hopffer Almada comparece uma hora mais tarde às urnas, às 11, e vai votar na mesma Mesa que Filú - Escola Técnica, em Achada de Santo António. A concorrente mais jovem à presidência dos tambarinas estará acompanhada do seu mandatário Nacional, João Pereira Silva.

Regiões determinantes

As regiões políticas de Santiago-Sul (10 mil) e Santiago-Norte (7.300) são determinantes nas directas deste domingo. Quem ganhar nestas duas regiões será o próximo líder do PAICV. É que ali se concentram mais de 17 mil militantes do PAICV, muito para além da metade dos 29.443 inscritos nos cadernos eleitorais. Na linha de importância seguem as regiões de Santo Antão (3 mil) e Fogo, outros três mil. Essas quatro zonas-bastião do PAICV reúnem à volta de 23 mil votos.

Sombras providenciais

Por este dias a figura do antigo líder Pedro Pires voltou a pairar nos espíritos, como aliás sempre acontece quando o assunto é PAICV. E a sua presença na primeira apresentação pública de Felisberto Vieira levou a que muito boa gente o associasse à candidatura do seu delfim Filú. Só que pessoas próximas do comandante juram a pés juntos que ele está do lado da Cristina. Os próximos dias dirão. Do actual líder José Maria Neves não se tem notícia. Aguentou firme e forte a boca, não se deixou cair na tentação e tudo leva a crer que vai manter o tabu até ao fim. Mas como Amílcar Cabral não está vivo nem pode expressar a sua preferência, todos os três candidatos foram ao túnel do tempo resgatar, nas ideias sempre actuais do eterno líder, a pureza original do PAICV. Até que ponto conseguiram casar essas ideias com a sua práxis política? Isso já é outra história...Palavras que o vento levou!

Campanha na recta final

A campanha chega à recta final, mas o ponto de ebulição vai ao ápice com as forças em presença a tirar todos os coelhos da cartola. A meta é amarrar os apoios – até agora prometidos de boca para fora – em votos expressos. E para isso usam jantares-convívio, apresentações com música ao vivo, conversas de pé-de-orelha com os militantes mais renitentes. Aliás, na hora do assalto final toda a estratégia concentra-se nos indecisos – aqueles militantes que, pelos vistos são muitos, ainda escrutinam o carácter e buscam por entre as declarações de circunstância e os shows de ocasião a verdadeira "essência" do seu partido.

CNJF quer transparência

A Comissão Nacional de Jurisdição e Fiscalização do PAICV quer conferir maior clareza possível ao pleito deste domingo, para que os militantes possam escolher o seu candidato sem interferências e condicionalismos. Para tanto, a CNJF quer que todas as mesas de voto espalhadas pelos 22 concelhos do país e pela Diáspora tenham representantes das candidaturas para supervisionar o processo que se quer transparente, isento e com igualdade de tratamento entre os concorrentes à liderança do PAICV – o partido no poder em Cabo Verde.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau