REGISTOS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Doença rara: Depois de entrar no mar, bactéria "devora" perna de mulher nos EUA 06 Agosto 2017

Em poucas horas os tecidos do membro já estavam tomados pela bactéria, que provoca doença rara, mas mortal. Entenda o que é fasciíte necrótica.

Doença rara: Depois de entrar no mar, bactéria

Ao entrar no mar, uma americana foi infectada por uma bactéria que quase fez com que sua perna fosse amputada. Sua pele estava sendo “devorada” e em pouco tempo ela precisou ser submetida há procedimentos cirúrgicos para impedir que a doença se espalhasse.

Bonita Fetterman foi transportada para um hospital no último domingo (30) pela manhã, nos Estados Unidos. Assim que percebeu que a bactéria tinha se instalado em sua perna. Ela precisou correr para um pronto socorro, pois, apesar de ainda não saber do que se tratava, ela sentia que estava colocando sua vida em risco.

A história ficou conhecida assim que sua filha, Marsha Barnes, decidiu compartilhar o ocorrido em suas redes sociais, pedindo para que seus amigos rezassem pela saúde de sua mãe.

A postagem - que teve mais de 78 mil reações – dizia sobre o quadro clínico dela e informava que sua mãe está na unidade de terapia intensiva, em condição estável.

A praia onde Bonita havia se banhado está localizada em Myrtle Beach, um resort de férias na costa atlântica da Carolina do Sul. De acordo com os especialistas, é possível que essa condição seja caracteriza como fasciíte necrótica– uma doença rara e com alto risco de mortalidade.

Bactérias mortais

Conhecida também como fasciíte necrosante, é uma infecção bacteriana incomum, mas séria, que pode destruir a pele, a gordura e o tecido que cobre os músculos dentro de um tempo muito curto.

Pode começar por uma lesão relativamente pequena, como um pequeno corte provocado por depilação ou uma picada de inseto, pois isso já é o suficiente para a bactéria entrar na ferida.

A doença pode ser causada por vários tipos de bactérias, porém a mais comum é a Streptococcus beta-hemolíticos. Além de serem encontradas nas águas mornas do mar, esses organismos estão, muitas vezes, presentes em ostras crus, mariscos e outros frutos do mar.

Os sintomas são vermelhidão e dor na área, sem margens claras, que inflamam e aumentam a cada hora. Logo aparecem bolhas amarelas e o local começa a gangrenar. Os tecidos são destruídos, e em poucas horas a necrose na pele pode se tornar visível.

Quanto mais cedo o tratamento começar, mais provável que o paciente se recupere da infecção e evita complicações graves, como a amputação dos membros. Fonte: Saúde iG

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau