ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

EU alerta sobre fraude no atum espanhol também exportado de Cabo Verde : 25 mil toneladas e 200 ME, inúmeras intoxicações 28 Setembro 2017

Cinquenta intoxicações alimentares em restaurantes de sushi foram a ponta do icebergue. Seguiu-se a investigação que leva a União Europeia a estimar que a fraude atinge 25 mil toneladas de atum por ano totalizando 200 milhões de euros (22 milhões de contos).

 EU alerta sobre fraude no atum espanhol também exportado de Cabo Verde : 25 mil toneladas e 200 ME, inúmeras intoxicações

A Espanha, cuja empresa FRESCOMAR opera em Cabo Verde onde caputra e exporta peixes frescos e conservados para a Europa e os EUA, está a ser pressionada pela União Europeia para tomar medidas urgentes contra uma prática fraudulenta que tem feito escola no país europeu que mais comercializa o atum.

Lombos de atum descongelados são vendidos com etiqueta de peixe fresco, depois de injetados com extrato de beterraba e aditivos com nitritos que tornam o castanho (do peixe pouco fresco) em vermelho vivo (cor que denota o peixe fresco).

A crescente demanda de sushi nos restaurantes europeus terá apressado a fraude, pela qual se vende ainda outros tipos de atum como o genuíno atum vermelho, o Thunnus thynnus.

Tudo está no processo de congelamento

O consumidor perante um atum vermelho vivo não tem como desconfiar que se
trata de atum fraudulento. A diferença está no processo de congelamento: "Aos 18º negativos, ficam paralisados os processos enzimáticos de degradação. O atum mantém a sua frescura”, o que permite, segundo a lei, ser vendido com a etiqueta de fresco.

Mas se for congelado diferentemente, tal não acontece. "Aos 9º negativos, não se trava a degradação e ao descongelar-se há enorme risco de que estejam presentes microorganismos e histamina”, explicaram fontes conhecedoras da investigação em curso.

Cabo Verde é estratégico, mas CPE inativo

A captura de tunídeos em águas de Cabo Verde por frotas estrangeiras — à cabeça, a China, Japão e Espanha — atingirá um montante (estimado) de 25 mil toneladas/ano.

A estimativa referida, que em 2015 se apresentava para a captura de tunídeos, continua todavia sem confirmação porquanto quer o Centro de Políticas Estratégicas (CPE) — criado com a missão de melhorar a "gestão das políticas económicas e apoiar os diferentes intervenientes públicos, privados e da sociedade civil na implementação da estratégia nacional de transformação" — quer o Instituto Nacional do Desenvolvimento das Pescas (INDP) deixaram de publicar quaisquer dados nos últimos dois anos.

C/ El País. Foto: Venda de atum num mercado de Madrid.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau