DESPORTO

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Estádio Nacional busca forma de criar receitas 02 Setembro 2014

A falta de rentabilização de um investimento pode transformar grandes obras em fontes amargas de prejuízos. Na área desportiva, a taxa de utilização de um estádio precisa justificar os seus custos de manutenção. Inaugurado dia 23 de Agosto, o Estádio Nacional de Cabo Verde vai custar ao erário público exatos 2,29 milhões de escudos a mês, para que tudo se mantenha nos conformes: energia, limpeza, segurança e água. A grama, por enquanto, é sintética, mas há quem diga que a implementação de um gramado natural ainda não foi descartada. Soerguido com investimentos na ordem dos 50 milhões de dólares, o seu gestor Inácio Carvalho reconhece "o elevado custo" para a manutenção do Estádio Nacional.

Estádio Nacional busca forma de criar receitas

Com apenas três actividades de grande porte no calendário anual, incluindo as partidas da selecção de futebol, especialistas questionam agora como a gestão do Estádio garantirá a rentabilidades dessa obra que é considerada a maior infra-estrutura desportiva do país, "uma das maiores em 40 anos de independência".

Com capacidade para 15 mil lugares sentados, o Estádio Nacional busca parceiros e investidores para os espaços comerciais do estádio. No dia 03 de Setembro, representantes do Banco Comercial do Atlântico visitarão o local, nos arredores da Praia. "Estamos pensando em criar clínicas fisioterápicas lá dentro e trazer bancos. Queremos fazer uma gestão dinâmica", adianta o gestor do Estádio Nacional.

Como funciona o Estádio Nacional de Varsóvia

Na Polónia, os quatros estádios construídos em 2012 para a Eurocopa
contorcem-se para se tornarem rentáveis. Com um custo estimado em mais de 288 milhões de euros, a sede mais cara da Euro-2012, o Estádio Nacional da Varsóvia é um bom exemplo de como as autoridades polonesas tiveram que usar a criatividade para que as instalações não se tornassem uma carga após o fim do torneio.

Com um custo mensal de mais de 774 mil euros, os 40 mil metros quadrados do Estádio Nacional da Varsóvia transformaram-se em espaços para conferências e eventos corporativos, a grande aposta para o local. As visitas organizadas e guiadas são outro dos atractivos do Estádio Nacional. O espaço recebe 4 mil pessoas por dia que pagam ingressos que custam de 3 a 15 euros. Shows de pesos pesados da música internacional como Paul McCartney e Beyoncé, conseguiram atrair 30 mil espectadores, e a estimativa das receitas a serem geradas para todo o ano de 2014 chega aos oito milhões de euros.

Situação parecida vivem os estádios das outras três sedes polonesas da Euro: Gdansk, Wroclaw e Poznan, que se viram como podem, promovendo amistosos entre equipas locais e grandes selecções, como o Barcelona, além de visitas guiadas. Em Janeiro deste ano, o Estádio de Varsóvia transferiu a gestão do Estádio Nacional à sociedade pública PL.2012+, com a finalidade de dar uma visão mais comercial às instalações.

Como acontece nas outras sedes da Eurocopa, o plano de negócio se baseia em três pilares: transformar o estádio em sede de eventos desportivos, receber shows e eventos de massas e promover visitas organizadas e actos sociais alugando camarotes.

No entanto, o gestor do Estádio da Várzea, Celso Rodrigues, pondera a aplicabilidade dessa solução em Cabo Verde. "Isso porque somos ilhas", o que inviabiliza o deslocamento de grandes massa para os jogos da selecção nacional. "Inclusive, o que fizeram aqui vai na contramão do que se faz no mundo. O ideal seria recuperar e optimizar os estádios que já existem no arquipélago", observa.

"Apesar de ser um ganho para o desporto", obras deste porte são muito onerosas. "Os Estados e os municípios não aguentam", completa. A construção de estádios menores e com vocação local nas ilhas de São Vicente, Fogo e Sal, poderia, na opinião do profissional, ter sido sido equacionada antes de se optar por esse grande investimento.

Além disso, Rodrigues lança outra crítica quanto a duplicidade modal do Estádio Nacional. Por causa da pista de atletismo no entorno do campo de futebol, o recuo da arquibancada compromete a panorâmica do jogo, por causa do distanciamento. "Compromete a visão do público no espectáculo", observa.

Agenda

Os três jogos da selecção nacional estão previstos para os dias
10 de Setembro, 4 de Outubro e 15 de Novembro. No mês de Dezembro acontece a corrida de São Silvestre.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau