POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Estatuto para os Titulares de Cargos Políticos sai de cena 13 Abril 2015

O Estatuto dos Titulares de Cargos Políticos deixou de estar na agenda política, pelo menos nesta legislatura. O MPD acaba de tirar o corpo fora e, sabendo-se que se trata de um diploma que exige uma maioria de dois terços, o seu fim já está traçado: o fundo de uma gaveta qualquer em nome da estabilidade do país. Com a desmobilização primeiro da UCID ( na última quinta-feira) e agora do MpD, os deputados da bancada Parlamentar do PAICV - maioria- ficam orgulhosamente sós na defesa desse instrumento ’histórico" para "dignificar a classe política cabo-verdiana. É que o líder do MPD, Ulisses Correia e Silva, anunciou em alto e bom som no final desta manhã, à saída de um encontro com a sua bancada parlamentar: “Não há condições políticas para continuarmos no processo de aprovação do Estatuto dos Titulares de Cargos Políticos, nem para a sua revisão”

 Estatuto para os Titulares de Cargos Políticos sai de cena

A reacção do MPD surge depois que a UCID disse que não queria mais saber dos Estatutos.

O líder do MPD nega encarar este recuo como um instinto de sobrevivência do seu próprio partido, frente a um Estatuto que enfrentou um dos mais veementes repúdios da sociedade cabo-verdiana, transversal aos três partidos políticos que participaram na sua aprovação - PAICV, MpD e UCID.

Mas escusando comentar o terramoto que abalou as suas próprias bases em momento pré-eleitoral, Correia e Silva manda a bomba para o campo adversário: O PAICV tem neste momento “um corpo e três cabeças” e não tem um “interlocutor válido”. Daí que, para o MPD, “a relação de confiança foi posta em causa”.

O líder do MPD considera que, com a aprovação deste diploma, o sistema político e o Parlamento ficaram abalados, daí a retirada do seu partido deste processo de negociação.

Ulisses Correia e Silva sublinha entretanto que há necessidade de fazer com que o Parlamento funcione “em condições de dignidade, tendo em conta que se trata do centro do nosso sistema político”. Lamenta que durante este processo, o Parlamento e os deputados tenham sido atingidos, mas faz questão de realçar que o MPD mantém-se empenhado em continuar a dignificar a democracia cabo-verdiana.

Sanny Fonseca

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau