CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Alerta sobre o ano catastrófico no Fogo: Eugénio Veiga lança propostas para minimizar o impacto do mau ano agrícola e denuncia actuação tardia das autoridades 26 Outubro 2017

O ex-Edil Eugénio Veiga, agora vereador do PAICV (oposição) na Câmara Municipal de São Filipe, alerta sobre o ano catastrófico que se perspectiva para o Fogo por causa da seca e denuncia a actuação tardia do Governo e da Câmara Municipal na implementação do Plano de Emergência anunciado para o efeito. Numa visão interessante que podia ser adotada a nível nacional, o autarca elenca um conjunto de medidas que devem ser implementadas de imediato para minimizar o sofrimento das pessoas na decorrência do mau ano agrícola. De entre as propostas, Veiga aponta a compensação aos agricultores pela perda registada, a isenção de pagamento de IUP (Imposto Único sobre o Património) pelos proprietários de terras, adopção de um programa “consistente e imediato” de recolha do pouco pasto existente e um programa de salvamento de gado a nível da ilha.

Alerta sobre o ano catastrófico no Fogo: Eugénio Veiga lança propostas para minimizar o impacto do mau ano agrícola e denuncia actuação tardia das autoridades

Segundo defende, uma outra medida a que deve ser tomada passa pala redução do custo da água para proprietários com perímetros irrigados e criadores de animais. O apoio aos pescadores e vendedeiras de peixes, assim como a abertura de frentes de trabalho, a autorização imediata de apanha de areia na praia de Fonte Bila e a isenção de pagamento de custos mínimos de saúde às famílias mais carenciadas, são outras medidas defendidas pelo vereador visando a minimização do sofrimento das pessoas na ilha.

Em conferência de imprensa, o vereador sem pasta disse que “as imagens do campo dizem tudo e são elucidativas”, indicando que mais que dois terços da ilha apresentam um aspecto quase desértico e que o ano agrícola “está, infelizmente, perdido”.

Impacto da seca e actuação das autoridades

“Será um ano catastrófico e a previsão se confirma desde Setembro deste ano”, frisou o vereador, indicando que o sinal de alerta devia ter sido dado na reunião anual das Nações Unidas, em Setembro, assim como junto da comunidade emigrada nos Estados Unidos, e, mais recentemente, no quarto fórum de desenvolvimento económico local.

Para o ex-autarca de São Filipe, os potenciais riscos são elevados nos sectores da educação e saúde, porque a produção agrícola deste ano, se não houver inversão da situação meteorológica nos próximos 30 dias, não alcançará cinco por cento da produção de um ano normal.

O vereador acrescentou, ainda, que a produção total de forragens foi a quem das expectactivas e que neste momento há já "transumância de animais de Cabeça Fundão para Salto, e poderá haver problemas graves de abastecimento de água nas localidades sem redes da ilha".

Segundo Eugénio Veiga, já devia ter ocorrido a avaliação do ano agrícola, o que ainda não aconteceu e é a partir de agora que vai se fazer avaliação, o que levará o seu tempo, assim como na mobilização da comunidade internacional.

A nível local, Eugénio Veiga disse que alertou de que o ano seria extremamente mau e que a edilidade devia fazer um programa retificativo para o resto do ano por ser atípico, observando que a nível nacional o Governo já apresentou o Orçamento do Estado para 2018, que vai ser um ano extremamente atípico e por isso não poderá pensar em adoptar um Orçamento do Estado para uma situação normal quando se está numa anormalidade.

Questionado como a abertura da apanha de areia na praia de Fonte Bila se encaixa nas medidas para mitigar o mau ano agrícola, Eugénio Veiga indica que faz todo o sentido porque há muita gente desempregada neste momento por causa da falta de areia, prejudicando o sector da construção civil, comerciantes, trabalhadores, proprietários de viaturas.

C/Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau