ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Extraditado para Cabo Verde: Ex-PJ Alino Vieira em isolamento na Cadeia Central da Praia 05 Dezembro 2016

O ex- inspector da Polícia Judiciária, Alino Vieira, condenado a 20 anos de prisão pelo envolvimento no roubo de 189 quilos de cocaína dos cofres da PJ, vai ficar isolado dos outros presos da Cadeia Central da Praia, durante o primeiro mês de reclusão. Fontes do A Semana relatam ainda que Vieira também não receberá visitas nem familiares e nem amigos e estará sob vigilância permanente.

Extraditado para Cabo Verde:  Ex-PJ Alino Vieira em isolamento na Cadeia Central da Praia

Alino Vieira está na Cadeia de São Martinho desde 22 de Novembro, quando foi extraditado para Cabo Verde pelas autoridades francesas, sob escolta de inspectores da polícia científica cabo-verdiana. Isso depois da França ter indeferido todos os recursos em que o ex-membro da equipa de inspectores da PJ contestava o pedido de extradição feito pelas autoridades judiciárias cabo-verdianas.

Cabe agora ao ex-inspector cumprir a sentença determinada pela Justiça cabo-verdiana - 20 anos de prisão pelo envolvimento no roubo de 189 quilos de cocaína do cofre das antigas instalações da PJ na Achada de Santo António, em 2008.

Por sua vez, o taxista António Teixeira, considerado pela Justiça como o homem-de-mão de Alino Vieira, - julgado e condenado a 18 anos de prisão no mesmo processo -, continua a cumprir a pena em liberdade condicional. Segundo as fontes deste jornal, Teixeira trabalha fora da cadeia e regressa apenas para dormir nesse estabelecimento prisional.

Factos

Alino Vieira é tido como o “cabeça” no roubo da cocaína que ocorreu nas instalações da PJ na Praia, em 2008. Nessa altura, as investigações recaíram sobre mais três suspeitos, além de Alino. Após o julgamento, realizado em Novembro de 2010, apenas o Alino e o taxista António Teixeira foram condenados a 20 e 18 anos de prisão respectivamente. Os outros dois suspeitos ficaram ilibados, por insuficiência de provas, depois de terem passado dezasseis meses na cadeia de S. Martinho, em regime de prisão preventiva.

Inconformado com a sentença, Alino Vieira interpôs recurso para o STJ e, ao saber que a condenação tinha sido confirmada por esta instância superior, fugiu de Cabo Verde em Janeiro de 2011. Nessa altura, ela estava em liberdade provisória, após interpor recurso no STJ. Segundo as nossas fontes, aproveitou essa oportunidade para fugir por vias aéreas.

Mas a 20 de Setembro de 2012 foi capturado em França, numa operação que envolveu as autoridades policiais portuguesas, francesas e norte-americanas. Informada da prisão de Alino, a Procuradoria-Geral da República solicitou a sua extradição, que foi aceite pela França. Só que Alino interpôs vários recursos para fazer demorar o processo, o que acabariam por ser indeferidos. Agora, sob a custódia da justiça cabo-verdiana, Alino está finalmente extraditado para Cabo Verde e cumpre agora a pena pela qual foi confirmada pelo Supremo Tribunal da Justiça.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau