CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Fernandinho Teixeira chama atenção do Governo para intervenção atempada para correcção de situações antes das chuvas 09 Julho 2017

Carlos Fernandinho Teixeira, Presidente da Câmara dos Mosteiros, visitou, este sábado, algumas localidades desse concelho do Fogo, no quadro da preparação do plano de intervenção para época das chuvas, tendo priorizado as localizadas que costumam ser críticas nesse período. Por isso, exorta ao Governo para, através de uma parceria profícua com a Câmara Municipal ver o que se pode fazer em termos de intervenções nos pontos críticos do município, sobretudo com a habitação de pessoas carenciadas.

Fernandinho Teixeira chama atenção do Governo para intervenção atempada para correcção de situações antes das chuvas

No dizer de Carlos Fernandinho Teixeira, três localidades preocupam a edilidade dos Mosteiros, nomeadamente a de Boca Curral (zona alta) onde há dois anos a população passou por maus momentos, Ribeira do Ilhéu (Ilhéu Dentro) e ponte Laranjo, única via que liga a cidade de Igreja à parte norte da cidade e do município, que está em risco de desabar se não houver correção.

Em relação a Boca Curral onde vivem cinco famílias, a edilidade efetuara já alguma intervenção, mas segundo o edil, “se não houver correcção em tempo útil pode-se registar graves problemas com os moradores desta localidade na época da chuva que se avizinha”.

Por seu turno, a localidade de Ribeira do Ilhéu tem necessidade de mais intervenções para evitar que mais de 40 pessoas venha a sofrer com invasão da água, precisou.

Já em relação a ponte de Laranjo, que faz parte da estrada nacional, Carlos Fernandinho Teixeira disse que a situação foi abordada com os ministros de Infraestrutura do anterior e do actual Governo sobre a possível intervenção, acrescentando que atendendo o facto de a mesma carecer de recursos avultados a edilidade não dispõe de capacidade financeira para tal.

Esta ponte foi reabilitada há alguns anos e custou mais de oito mil contos, mas neste momento para a construção de duas alvenarias laterais para a sua protecção, são necessários aproximadamente 10 mil contos, valor que consta do projecto e orçamento enviado ao Instituto de Estrada e ao Ministério das Infra-estruturas.

O autarca informou ainda, que recentemente a edilidade procedeu ao seu desassoreamento com recurso às maquinarias de que dispõe a Câmara Municipal.

Além dessas intervenções, a edilidade dos Mosteiros quer também a parceria do Governo para resolver os problemas das moradias das famílias que precisam de obras para se minimizar a situação na época das chuvas.

Pelos dados estatísticos, Carlos Fernandinho acredita que mais de 300 moradias de famílias carenciadas necessitam de intervenção, sobretudo a nível do teto.

O autarca disse ter a consciência de que não é possível reabilitar todas as casas antes das chuvas, mas que há necessidade de se agendar intervenções nos casos mais urgentes.

Lembrou que a edilidade tem o “projecto de acessibilidade e reabilitar”, mas devido a fraca disponibilidade financeira não contempla muitas pessoas, razão por que exorta o Governo para, através de contratos-programa apoiar na resolução deste e de outros problemas.

“Exorto o Governo para, através de uma parceria profícua com a Câmara Municipal ver o que se pode fazer em termos de intervenções nos pontos críticos do município, como a nível de habitação de pessoas carenciadas”, disse o edil.

C/Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau