CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Fogo: Coffee Spirit pode exportar em Setembro mais de 11 toneladas de café comercial para os EUA 31 Agosto 2017

A empresa Fogo Coffee Spirit, que opera no Município dos Mosteiros, pode exportar, no início de Setembro, mais de 11 toneladas de café comercial para os EUA - cerca do triplo da quantidade exportada no ano passado para o mesmo destino.

Fogo: Coffee Spirit pode exportar em Setembro mais de 11 toneladas de café comercial para os EUA

Esta vai ser, segundo a Inforpress, a terceira vez que a empresa exporta café comercial para aquele país, através de um acordo de fornecimento estabelecido com uma multinacional Starbucks, que dispõe de maior cadeia de cafetarias do mundo, sendo que esta vai ser em maior quantidade, 11.610 quilogramas de café comercial, cumprindo assim o acordo de fornecimento estabelecido entre as duas empresas.

No ano passado, devido à baixa produção, a Fogo Coffee Spirit exportou para os EUA pouco mais de quatro toneladas (4.025 quilos), representando metade da solicitação da multinacional Starbucks.

Uma fonte da empresa Fogo Coffee Spirit disse à Inforpress que neste momento estão prontos para exportação os 11.610 quilogramas e que a empresa aguarda apenas pela reconfirmação da quantidade, esperando que o processo seja concluído até 05 de Setembro.

Além da quantidade para a exportação, a empresa dispõe de mais de quatro toneladas que se destina ao mercado nacional, estando neste momento em negociação com uma empresa nacional interessada em comercializar o café da ilha do Fogo.

A empresa exportou em anos anteriores para países como Rússia, Japão, Holanda, Itália e Alemanha, e o processo “respeita todos os parâmetros” exigidos pelos EUA e é efectuada mediante o certificado fitossanitário emitido pelo Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA).

Com a queda das chuvas em quantidade suficiente nas zonas altas dos Mosteiros, a empresa vai proceder este ano a fixação de aproximadamente sete mil novas plantas, sendo duas mil para ratificar as fixadas no ano passado, e que não sobreviveram, e cinco mil em novas áreas de cultivo do café.

Café do Fogo e valor comercial

A ideia de criar a marca Fogo Coffee Spirit surgiu no Museu de Louvre (Paris, França), depois de um dos sócios fundadores e um dos parceiros da empresa na Europa terem bebido três cafés de regiões distintas do Mundo e não terem gostado.

Aí os mesmos acordaram que um dia colocariam o café do Fogo nos melhores “coffee shops” do mundo, o que está a acontecer neste momento com a internacionalização do café do Fogo.

O café é cultivado principalmente na área montanhosa e fértil dos Mosteiros, envolta por diversos microclimas e sem presença de produtos químicos (produção orgânica), sobretudo do Morgadio de Monte Queimado, a maior propriedade unificada de produção de café na ilha, premiada, por duas vezes, com a Medalha de Ouro da Exposição Colonial no Porto, em 1934 e Lisboa em 1949, como “O melhor café do império”.

Igualmente, no início do século XX, o café do Fogo foi apresentado na Exposição Universal de Paris, juntamente com a água da nascente de Aguadinha, tendo sido classificado como o melhor café do Império Português, superando em qualidade os cafés de Angola, São Tomé e Príncipe e Timor.

Em 1917 e 1918, o café do Fogo conquistou os primeiros prémios numa exposição agrícola realizada na Cidade da Praia, além de ter tido uma participação na grande exposição da Índia Portuguesa, em 1954. Fonte: Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau