NOTÍCIAS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Glamour e emoção numa noite em que a música reinou 13 Mar�o 2011

A música de Cabo Verde viveu o seu melhor momento de sempre. Afinal, estava sendo homenageada numa noite de luar em que o céu “di nha terra” se abriu para receber a sua grande constelação de estrelas. E rainha na sua dezena de seus géneros, centena de estilos, versões, e nos milhares de artistas que esta terra já pariu brilhou com uma luz mais forte, a roçar o incandescente. Lágrimas de alegria rolaram por rostos como notas num qualquer violão. Cordas do Sol e Beto Dias por pouco não levavam todos os prémios, três Claves de Sol cada um. Foram os grandes vencedores da I Gala Cabo Verde Music Awards. Surpresa também quando muitos artistas que andam a fazer furor lá fora saíram CVMWARDS deixaram o auditório da Assembleia Nacional

Glamour e emoção numa noite em que a música reinou

“Há 21 anos que sou artista e até que enfim ganho um prémio”, desabafou Jorge Neto na hora em que recebeu o prémio melhor artista em palco. O Cabo Verde Music Awards (CVMA) atribuui 18 troféus a artistas cabo-verdianos e deixou a vontade de voltar para o ano.

Com o auditório da Assembleia Nacional cheio, a gala valorizou a música cabo-verdiana como nunca ninguém o tinha feito, reconhecendo através de 18 categorias prémios a quem ao longo de 2009 e 2010 lançou no mercado de Cabo Verde e do mundo cd’s, fez video-clips, dVd’s e animou festas e emissões de rádio como DJ.
No melhor Batuku/Kola Sandjon destacaram-se os Corda do Sol que também ganharam o prémio de melhor Álbum Acústico e Melhor Música. Beto Dias também arrecadou três galardões: Melhor Funaná, Melhor Álbum Electrónico e Melhor Voz Masculina. Foram assim os vencedores da noite, embora vencedores fossemos todos por este vento que Cabo Verde nunca teve mas que agora veio para ficar.

Aliás, Beto Dias foi a emoção em pessoa e não conteve as lágrimas, que teimaram em cair, quando anunciaram que ganharia o terceiro galardão. Vitoriosos também saíram Hernani Almeida, como melhor Instrumentista; Bino Barros para prémio Revelação e Kim Alves para o melhor Produtor Musical.

Maria de Barros levou para casa o prémio de melhor Morna/ Coladeira e o prémio Social. Os Rapazes 100 Juízo levaram o melhor Rap/Hip Hop – Reggae & Rnb e Suzanna Lubrano conquistou duas Claves de Sol: Melhor Vídeo Clip e Melhor Cabozouk/Cabolove.

Com um púbico praticamente certeiro e ao rubro quando a votação do júri coincidia com a sua, Jorge Neto subiu ao palco debaixo de uma forte ovação para receber o prémio de Melhor Artista em Palco.

A primeira grande manifestação da assembleia, que se fez sentir como uma grande erupção, surgiu na homenagem aos artistas que já partiram. Ildo Lobo Roubou todas as emoções. Ildinho, o filho, assim como a filha de Pantera, subiram ao palco para receber em nome dos pais o troféu a título póstumo.

Bife conquistou o Melhor Dj /Animador; os Ferro Gaita levaram o prémio Melhor Banda ao Vivo e o Melhor DVD foi para Grace Évora que agradeceu a Deus a oportunidade que lhe deu de poder receber o troféu. A melhor Voz Feminina foi para Sara Tavarexs.

A Diva Cesária Évora foi homenageada com o prémio Carreira, por ela e pelo que a sua carreira significa para a projecção da música de Cabo Verde no mundo. O Primeiro-ministro entrgou o galardão.

Uma noite repleta de música, emoções, lágrimas, alegria, muita descontracção e algum nervosismo à mistura, que chegou aos apresentadores, mas que apesar disso foi muito elogiada pelo público e convidados.

Uma homenagem à música e aos artistas do arquipélago que vive e respira música. Como dizia Bino Barros em cima do palco: “Que seria do mundo sem a música de Cabo Verde?”.

IMN

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau