ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Ulisses Correia e Silva: Homenagear os 25 anos da Constituição da República deve servir para acelerar o processo de desenvolvimento de Cabo Verde 09 Novembro 2017

O Primeiro-ministro considerou que é tempo de abraçar novos desafios, mesmo que a Constituição de 1992 tenha sido um elemento fundador do Estado de Direito Democrático em Cabo Verde, com consequências positivas para os cidadãos cabo-verdianos e de um novo paradigma do sistema político, institucional, social e económico do país.

Ulisses Correia e Silva: Homenagear os 25 anos da Constituição da República deve servir para acelerar o processo de desenvolvimento de Cabo Verde

Ulisses Correia e Silva, que falava na abertura oficial da conferência internacional sobre os “XXV anos da Constituição de Cabo Verde”, esta terça-feira, 7, em São Vicente, alertou que o momento é de reforçar a vontade de acelerar as reformas institucionais e económicas no processo de desenvolvimento de Cabo Verde.

“O país teve um percurso que orgulha a todos os cabo-verdianos, enquanto país independente, que almejou e conquistou a democracia, que apesar de vários problemas, foi trilhando caminhos para melhorar as condições de vida da sua população”, reconheceu o PM, mostrando, no entanto, que agora as novas gerações exigem muito mais: querem rapidez no processo de crescimento e de desenvolvimento. E isso obriga, disse o Chefe do Governo, a acreditar no país, a ter a ambição, romper com a fatalidade, o medo e a desconfiança no futuro, e ter a consciência apurada de que o desenvolvimento é uma construção de mulheres e homens que compõem a nação.

Para Ulisses Correia e Silva , vai se conseguir isso, com sentido estratégico e perseverança. Até porque, conforme acrescentou, o caminho que o Governo escolheu para o desenvolvimento está intrinsecamente ligado à valorização dos ativos intangíveis, nomeadamente a estabilidade política e social do país, aos baixos riscos políticos, sociais, sanitários e económicos, à previsibilidade e confiança nas relações com os cidadãos, com os parceiros de desenvolvimento e com os investidores.

Por isso, avançou que o seu Governo está empenhado em fortificar a relação com os principais parceiros na ótica de atração de investimentos privados, de facilitação da mobilidade e de segurança cooperativa.

No quadro da pertença ao grupo de pequenos estados insulares graduados a rendimento médio, Chefe do Executivo disse que o trabalho é para dar um contributo positivo à criação de mecanismos internacionais, para fazer face a choques externos e para o esforço das reformas institucionais e económicas, necessário para a aceleração e sustentabilidade do crescimento económico.

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau