INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Incêndio Portugal: 62 mortos e o número de feridos sobe para 62 20 Junho 2017

De acordo com a informação divulgada na página na Internet da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), mais de 2.150 operacionais, auxiliados por 662 veículos e dez meios aéreos combatiam, seis grandes incêndios nos distritos de Leiria, Coimbra, Castelo Branco e Bragança.

Incêndio Portugal: 62 mortos e o número de feridos sobe para 62

O posto de comando operacional que estava instalado em Pedrógão Grande, distrito de Leiria, foi deslocado para o concelho de Ansião “para melhor cobertura da rede”, disse à Lusa fonte da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

O Ministério Público vai abrir um inquérito criminal para determinar as causas do incêndio que começou em Pedrógão Grande no sábado, no norte do distrito de Leiria.

O comandante operacional da Proteção Civil disse, no primeiro balanço do dia dos fogos florestais que lavram nos distritos de Leiria, Castelo Branco e Coimbra, que a situação se mantém difícil mas que o combate às chamas está a decorrer de forma favorável. Elísio Oliveira admitiu, contudo, a possibilidade de novas complicações no combate às chamas, uma vez que os meios aéreos não estão de momento a operar, devido às condições atmosférica.

Três estradas nacionais e duas autoestradas nos distritos de Coimbra, Leiria, Castelo Branco e Viseu estavam, cerca das 10:00, cortadas ao trânsito, devido aos incêndios, disse à Lusa fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR).
O número de mortos no incêndio que atinge Pedrógão Grande e outros dois concelhos do distrito de Leiria desde sábado aumentou para 62, disse este domingo à noite a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa. O balanço anterior era de 61 vítimas mortais.

Todas as vítimas mortais são civis, segundo o secretário de Estado da Administração Interna.

No último balanço, feito pela ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, o número de feridos subiu para 62 feridos. Entre eles há oito bombeiros, quatro dos quais em estado grave.

Onze feridos estão hospitalizados em unidades de queimados de hospitais de Lisboa, Coimbra e Porto. Seis feridos do incêndio de Pedrógão Grande dos que se encontram internados no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) estão em estado grave, disse o presidente deste centro, Fernando Regateiro. Desses seis feridos graves, cinco estão nos cuidados intensivos com ventilação.

Fogo avança para distritos de Coimbra e Castelo Branco. As chamas chegaram ao distrito de Castelo Branco através do concelho da Sertã e ao de Coimbra pelo município de Pampilhosa da Serra.

Governo decretou três dias de luto nacional. Cumprem-se até terça-feira, dia 20 de junho.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) disponibilizou, a todas embaixadas e consulados em Portugal, um ponto de contacto telefónico específico para questões relacionadas com o incêndio em Pedrógão Grande, disse o ministério num comunicado. De acordo com o MNE, "através deste ponto de contacto, serão comunicadas todas as informações disponíveis sobre as situações relativas ao incêndio de Pedrógão Grande que tenham envolvido cidadãos nacionais de outros países, à medida que essas informações forem sendo obtidas".

Foi activado o plano de emergência distrital.

Foi montado um hospital de campanha, em Avelar, e a casa mortuária de Pedrógão Grande foi aberta para receber os corpos das vítimas. A vereadora da Ação Social da Câmara de Figueiró dos Vinhos, disse à Lusa que vários técnicos municipais estão este domingo no terreno a acompanhar as famílias retiradas das casas. “Temos meios do próprio concelho e do serviço distrital de segurança social”, com apoio de “médicos e escuteiros”.

O centro de saúde de Pedrógão Grande foi este domingo transformado num centro hospitalar para tratar os feridos e as vítimas do incêndio que deflagrou no sábado neste concelho do distrito de Leiria.

Polícia Judiciária afasta origem criminosa de incêndio. O director nacional da Polícia Judiciária (PJ) afirmou este domingo à Lusa que o incêndio que deflagrou no sábado no concelho de Pedrógão Grande teve origem numa trovoada seca, afastando qualquer indício de origem criminosa.

O comissário europeu para a Ajuda Humanitária, Christos Stylianides, anunciou esta domingo que a União Europeia (UE) está pronta ajudar Portugal, tendo já sido enviados aviões de combate a incêndios pelo Mecanismo de Protecção Civil europeu.

A agenda do Presidente da República está suspensa até terça-feira. Marcelo Rebelo de Sousa tinha agendado para este domingo a entrega do Prémio D. Diniz, da Fundação da Casa Mateus, ao escritor Mário Cláudio.

Fogo em Pedrógão Grande é dos mais mortíferos nas últimas décadas em Portugal. Especialista diz que incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande é dos mais graves do mundo.

Entretanto, o Ministério da Educação anunciou a suspensão das provas e exames nacionais por tempo indeterminado nos concelhos afetados pelo incêndio, assim como em Sertã (Castelo Branco) e de Pampilhosa da Serra (Coimbra). Fontes: Lusa com Sapo.pt

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau