SOCIAL

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Juiz leva a julgamento todos os arguidos do processo da operação Príncipe III 18 Dezembro 2016

Todos os arguidos envolvidos no processo da operação Príncipe III vão ser julgados, embora a data para o julgamento dos mesmos esteja ainda por ser marcada. A decisão foi tomada esta quinta-feira,15, pelo Terceiro Juízo Crime do Tribunal da Comarca da Praia, após a leitura da deliberação da Audiência Contraditória Preliminar "ACP" realizado.

 Juiz leva a julgamento todos os arguidos do processo da operação Príncipe III

O asemanaonline está em condições de avançar que os advogados dos arguidos não tiveram oportunidade de exerceram o direito de defesa, o que gerou alguma crispação entre as partes. Esta situação terá levado os advogados a não assinar a acta desta decisão instrutória. Cinco dos arguidos, lembra a defesa, tinham solicitado a justiça que realizasse a ACP.

Mas o juiz decidiu mandar todos os arguidos ao julgamento, por considerar que as provas produzidas e examinadas na audiência de ACP não eram contundentes , fortes e suficientes a ponto de abalar a acusação do Ministério Publico. A defesa dos Arguidos está a ser assegurado pelos advogados: José Manuel Pinto Monteito, Francisco Almeida, Felix Cardoso, José Henrique Freire de Andrade e José António Tavares

Conforme as nossas fontes, o crime ocorreu em Abril deste ano, altura em que o Tribunal da Praia decretou prisão preventiva aos cinco arguidos - quatro brasileiros, um cabo-verdiano, este último um tal Keita que é pescador-residente na Ribeira da Barca (Santa Catarina). A mesma instância judicial decretou ainda a prisão preventiva ao russo, Pakel Kondratev, também envolvido no caso, porém, já se encontra em liberdade condicional.

Estes envolvidos foram surpreendidos a bordo do navio pesqueiro Príncipe III, onde foram apreendidos 280 quilos de cocaína. Os restantes três implicados, detidos durante as buscas efectuadas nas respectivas residências na Praia e em Assomada, ficaram sob Termo de Identidade e Residência, portanto impedidos de sair de Cabo Verde.

Os nove suspeitos foram detidos na sequência de uma operação, denominada Príncipe III, efectuada pela Polícia Judiciária, em parceria com a Guarda Costeira cabo-verdiana. A acção de luta contra o tráfico internacional de drogas culminou com a apreensão de cerca de 280 quilos de cocaína e 450 litros de combustível, num navio pesqueiro de pavilhão brasileiro e americano.

Buscas domiciliares realizadas nas cidades da Praia e Assomada conduziram à apreensão de armas e munições, telefones por satélites, cerca de dois mil contos CVE, 4 mil dólares e 24 mil euros, para além de vários documentos com relevância para a investigação criminal. Três cabo-verdianos foram detidos. São estes que agora aguardam o julgamento do processo sob Termo de Identidade e Residência.

Nicolau Centeio

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau