POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Queda no índice Ibrahim: Líder do PAICV culpa o Governo pelo retrocesso de Cabo Verde 22 Novembro 2017

A líder do maior partido da Oposição (PAICV), Janira Hopffer Almada, lamentou, hoje(21), a descida do país no índice e sublinhou a importância de manter a credibilidade do país.

Queda  no índice Ibrahim: Líder do PAICV culpa o Governo pelo retrocesso de Cabo Verde

"A credibilidade do país é um dos principais ativos senão o principal, e temos de poder valorizar este ativo na perspetiva de trabalharmos para reforçar a nossa credibilidade", disse, citada pela agência cabo-verdiana de notícias Inforpress.

Para a presidente do PAICV, partido que governou Cabo Verde durante 15 anos, nos últimos tempos tem existido no país um discurso governamental não alinhado com a prática.

"Anunciam-se posturas, mas a prática vem demonstrando que têm sido totalmente contrárias às promessas e compromissos assumidos pelo atual Governo no seu programa e na sua campanha eleitoral", adiantou a mesma fonte.

Esta considerou ainda que a deterioração da posição de Cabo Verde no índice "não constitui motivo de grande estranheza", tendo em conta, segundo disse, o "ambiente de grande perseguição e intimidação na administração pública a pessoas que não de identificam com o partido que está a governar neste momento".

"Temos assistido a nomeações de dirigentes, militantes ou pessoas próximas do partido que está a governar Cabo Verde sem nenhum concurso público e sem avaliar o mérito e a competência", reforçou a líder da oposição.

Janira Hopffer considerou ainda que há um "grande desnorte" na forma de avaliação das medidas em curso, numa perspetiva de destruição de tudo que possa ser identificado com a governação anterior.

PM de Cabo Verde responsabiliza anterior Governo por queda no índice de boa governação

Reagindo ás criticas da oposição, o primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, recusou, hoje (21), responsabilidades do seu Governo na queda de uma posição no índice Ibrahim, que avalia a boa governação em África, e considerou possível reverter a situação.

"Trata-se de uma avaliação de 2016 e o sinal de alerta colocado a Cabo Verde refere-se a avaliações negativas dos últimos cinco anos. Nada que impute o atual Governo", disse à Lusa Ulisses Correia e Silva.

O Movimento para a Democracia (MpD) governa Cabo Verde desde abril de 2016.

Conforme a mesma fonte, Cabo Verde caiu da terceira para a quarta posição no Índice Ibrahim de Governação Africana 2017, acentuando a evolução negativa dos últimos cinco anos.

O país somou uma pontuação de 72,2 pontos num total de 100, contra os 73 registados no ano passado, tendo entrado para o grupo de países com "sinais de alerta".

No topo da lista estão as Ilhas Maurícias, Seychelles e Botsuana, num total de 54 países africanos analisados.

Ulisses Correia e Silva, que falava aos jornalistas à margem da sessão de abertura do de um fórum sobre o futuro do serviço público de comunicação social, assegurou estar a trabalhar para reverter a situação.

"Trata-se de uma situação perfeitamente recuperável e estamos a trabalhar para que Cabo Verde possa novamente estar colocado em boa posição nesses índices", disse.

Segundo ainda a Lusa, explicou que a classificação de Cabo Verde foi penalizada pelas pontuações negativas em matérias como a segurança e estado de direito (-0,50) e a participação e direitos humanos (-0,70), considerando que está "perfeitamente ao alcance de Cabo Verde dar o salto necessário para colocar o país bem".

Globalmente, Cabo Verde registou uma variação negativa de -0,30 pontos, refere a mesma fonte.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau