ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Líder do PP denuncia suspeitas de corrupção no Hospital Agostinho Neto 06 Novembro 2017

“Há denúncia por parte de várias pessoas de presumíveis desvios de cerca de 17 mil contos no Hospital da Praia e que precisa ser esclarecida por parte da direcção desta unidade hospitalar”, alerta o presidente do Partido Popular.

Líder do PP denuncia suspeitas de corrupção no Hospital Agostinho Neto

Amândio Barbosa fez estas declarações à Inforpress , depois da reunião quinzenal da Direcção Nacional do partido, que decorreu, neste Domingo, 05, na cidade da Praia, para analisar a situação política nacional.

O presidente do PP falou de “indícios de corrupção” no Hospital Agostinho Neto, na Cidade da Praia, que vêm sendo denunciados pela população. Além do suposto desvio de 17 mil contos - contamos ouvir o CA do HAN sobre isso - circula rumores de um desfalque em que se suspeita estar envolvido um dos administradores que chegou a sair do país em gozo de férias – mas não nos foi possível confirmar essa informação e se o referido já regressou a Cabo Verde junto do actual Conselho da Administração do HAN.

Amândio Barbosa disse ainda que a Direcção Nacional do PP reflectiu sobre várias denúncias que vêm sendo feitas pela população relacionadas com a assistência médica e “ suspeitas de morte por negligência” nos hospitais do país.

Segundo ele, trata-se de “denúncias graves”, que exigem esclarecimento e apuramento de eventuais responsabilidades disciplinares ou criminais, já que são de interesse de todos os cabo-verdianos.

Seca e viagens de governantes

Durante o encontro, o Partido Popular analisou ainda os gastos do dinheiro público nas viagens e deslocações por parte dos governantes, visando a participação em eventos internacionais.

“Há denúncias de que o governo já gastou supostamente cerca de 400 mil contos em viagens e deslocações. O PP é crítico perante esta situação, nesta era digital em que muitas viagens e deslocações poderiam ser evitadas, com a realização de sessões de videoconferência em Cabo Verde”, adiantou à Inforpress.

Amândio Barbosa disse ainda que num país sem recursos, a poupança deveria ser uma das prioridades do governo e não “gastos exagerados”.

Referindo-se à segurança interna, revela que a DN do PP constatou demora no atendimento do serviço e na chegada tardia da Polícia Nacional quando é chamada a intervir, constituindo uma preocupação para a população.

Sobre o plano de emergência de mais de 700 mil contos aprovado pelo governo para fazer face ao mau ano agrícola no país, Amândio Barbosa defendeu que o montante deverá ser posto à disposição das Câmaras Municipais ou outras entidades públicas, em vez das associações comunitárias.

“Defendemos isso para evitar que venha acontecer o mesmo que aconteceu com o Fundo do Ambiente”, salientou o presidente do Partido Popular. C/Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau