MUNDO INSÓLITO

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Menina que nasceu sem cara celebra o 9.º aniversário 03 Setembro 2017

Vitória Marchioli, uma menina brasileira natural da Barra de São Francisco, é um exemplo incrível de sobrevivência e superação. A criança nasceu com síndrome de Treacher Collins, uma doença que impede o desenvolvimento doa estrutura óssea facial, pelo que Vitória nasceu com os olhos, boca e nariz profundamente deformados e subdesenvolvidos, deixando-a efetivamente sem cara.

Menina que nasceu sem cara celebra o 9.º aniversário

Quando nasceu, os médicos deram-lhe um máximo de nove horas de vida mas, contra todas as hipóteses, a menina tem lutado contra a doença e celebrou o seu 9.º aniversário esta semana.

Vitória fez mais de oito cirurgias à face, para lhe reconstruir uma cavidade ocular, o nariz e a boca, assim como para estimular o movimento facial.

A menina tem viajado pelo mundo, de hospital em hospital, tendo feito a última operação no Shriner’s Hospital, no Texas.

Os pais da criança, Ronaldo, de 39 anos, e Jocilene, de 43, continuam com esperança e têm organizado várias angariações de fundos para que a Vitória continue os tratamentos e tenha cada vez melhor qualidade de vida.

"Os médicos continuam a não lhe dar qualquer esperança de vida. Não conseguem explicar como é que ela sobreviveu até agora. Até nós pusemos em causa se ela sobreviveria até aos nove anos. Mas agora sabemos que é pela força dela e pelo amor que lhe temos. Fazemos tudo pela nossa filha e tem sido isso que lhe dá força e que a tem mantido viva. Cada dia é uma bênção, agradecemos a Deus cada hora que temos com ela", conta o pai, Ronaldo.

Apesar de todas as operações a que a menina foi sujeita, Vitória continua a ser alvo de ataques na rua e na escola, tudo por causa da sua aparência. "As nossas filhas contam-nos as coisas horríveis que os coleguinhas da Vitória lhe chamam. Mas ela não se importa, é uma lutadora. Em casa, e com aqueles que a amam, recebe todo o carinho e amor e, no futuro, esperamos que a Humanidade tenha mais amor por todas as pessoas, independentemente da aparência, cor da pele, raça, religião, ou qualquer outro pormenor", afirmam os pais da menina.

O síndroma de Treacher Collins é uma doença rara que afeta apenas uma em cada 50 mil pessoas. Fonte: Correio de Manhâ

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau