REGISTOS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Mil-pés das profundezas descoberto por bióloga portuguesa evoca o mistério da Vaquina: 4 décadas de esperança e frustração 14 Fevereiro 2018

O invertebrado da foto foi encontrado a mais de mil metros de profundidade por uma bióloga portuguesa, Ana Sofia Reboleira, que leciona na Universidade de Copenhaga. O seu interesse para nós reside sobretudo no facto de que em Cabo Verde continuam muitas interrogações em torno do mil-pés, que flagela a agricultura de Santo Antão desde os anos de 1980.

Mil-pés das profundezas descoberto por bióloga portuguesa  evoca o mistério da Vaquina: 4 décadas de esperança e frustração

Por: Maria da Torre

A nova espécie (foto da bióloga) pertence a uma ordem de mi-lpés “que se chama ‘Chordeumatida’. É um dos maiores exemplares desta ordem”, e revela uma tendência para o gigantismo “muito pronunciada nos animais cavernícolas, tal como acontece com as faunas das ilhas”, como a bióloga Ana Sofia Reboleira a descreve na revista Zootaxa.

Os exemplares da espécie foram recolhidos nas grutas Krubera-Voronja e Sarma, atualmente a segunda e terceira grutas mais profundas do mundo, pela bióloga, que é também espeleóloga, o que tem contribuído para a descoberta de várias novas espécies para a ciência em várias grutas do mundo.

“Ao contrário do que acontece no mar profundo, ou na exploração espacial, a tecnologia não permite que sejam veículos operados remotamente a realizar as colheitas, por isso, a única forma de descobrir estes animais é mesmo ir lá e proceder às recolhas nas profundezas destas cavidades”, explicou a investigadora à agência Lusa.

Depois de recolhido, o milpés foi alvo de estudo taxonómico, com recurso à utilização de técnicas microscópicas avançadas, como a microscopia eletrónica de varrimento, que permite uma visão 3D da morfologia externa do organismo, segundo a Lusa.

O mistério da Vaquina: 4 décadas de esperança e frustração

É um dos mistérios da ciência agronómica cabo-verdiana. O cientista João Varela fazia, há uma dezena de anos, em artigos publicados designadamente neste "A Semana", a promessa de investigar o fenómeno e propor uma solução para o problema.

É por isso um dos desafios que se coloca à ciência cabo-verdiana este de encontrar uma solução para erradicar a praga da Vaquina. E enquanto não for encarado de frente, podem todas as teorias da conspiração continuar a pulular.

Um relato pessoal: o mil-pés entrou para o nosso dicionário, oral pois que ainda está inédito o seu registo escrito sistemático, na década de oitenta, há quase quarenta anos. O J., menino a aproximar-se dos 10 anos, levou-nos à Lisboa o seu relato pessoal sobre o verme que estava a atanazar a vida dos agricultores na ilha.

"Pesão ou tesão" era como ele lhe chamava, talvez numa apropriação própria da idade do vocabulário "viril". "Vaquina" era a designação corrente que lhe dava a irmã, já adolescente.

Unânime tem sido a avaliação sobre o quanto esta praga afetou a agricultura na ilha e, com isso, o desenvolvimento de Santo Antão.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau