SOCIAL

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Mindelo Pride 2016: LOVE=LOVE 22 Junho 2016

LOVE=LOVE, de Juliette Brinkmann, é título da exposição fotográfica que marca a abertura oficial da 4° semana da igualdade LGBTI (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais, Transgêneros e Intersexual), em São Vicente. A Associação Arco-íris fará também uma sessão fotográfica para todos os que querem “mostrar a cara”, participar e apoiar a causa LGBTI poderão fazer uma foto que será colocada numa bandeira de 20 metros com as cores do movimento. Durante esta semana consta ainda do programa Mindel Pride 2016 um workshop de cinema com o produtor e realizador Leandro Wenceslau e um Festival de Cinema com destaque para a exibição da película "Tchinda´s". A agenda termina no sábado, 25, com o tradicional desfile pelas ruas do Mindelo, uma manifestação para celebrar o dia Internacional das pessoas LGBTI. A concentração é na praça Dom Luís.

Mindelo Pride 2016: LOVE=LOVE

“Neste último trabalho estou mais concentrada em mulheres. Entrevistei e fiz muitos retratos de mulheres. Não gosto muito de rótulos gays, lésbicas e transexuais. São humanos, pessoas. Nesta exposição trago o tema ´o amor entre mulheres`. Isso porque quando falo deste assunto com homens, eles têm uma imagem distorcida do amor em relação as mulheres. Já as mulheres têm outros atributos e atitudes perante o amor. O homem faz a tradução do amor em relação ao corpo”, conta Juliette Brinkmann, a autora da exposição LOVE=LOVE, patente no centro Cultural do Mindelo até o dia 2 de Julho.

Mas engana-se quem espera ver exposto o rosto ou corpo de mulheres nesta amostra. É que, segundo Brinkmann, apesar de ter feito entrevistas e fotografias a várias pessoas do sexo feminino, decidiu não colocar imagens neste trabalho, porque “as mulheres que vivem com mulheres em Cabo Verde não querem dar a cara”. “Fizeram as entrevistas e as fotografias sem problemas. Mas com a recomendação de não mostrar o rosto nas fotografias. Têm medo de assumir e das consequências perante as famílias, os vizinhos e, as vezes, dos ex-maridos ou por causa dos filhos. Daí não quererem expor, assumindo a opção sexual”, analisa esta activista social, que em 1985 iniciou os trabalhos com a causa LGBT em Berlin, capital Europeia da causa LGBT.

A fotografa Juliette Brinkmann fez em Cabo Verde a exposição Musa I em 2014, Musa II em 2015 e Alot. Agora preferiu mostrar os atributos de amor. “O que é o amor em imagens, sem mostrar mulheres e sem mostrar um corpo? As imagens que trago leva-nos a fazer interpretações e a analisar como cada um liga as imagens ao amor. Este amor está num nível mais intelectual, filosófico e poético. Convida as pessoas a falar sobre o amor e sobre as fotografias. Mostra que o amor não tem nada a ver com acto ou gosto sexual, mas sim que é um sentimento universal, algo de Deus e que nem estar ligado ao preconceito não necessariamente ligado ao amor homem mulher”, elucida.

Ainda para o arranque do Mindel Pride 2016 prevê-se a criação de uma plataforma de pessoas que queiram dar a cara para a igualdade LGBTI, mas também para os direitos humanos no mundo. Pessoas que têm a coragem de assumir e "sair do armário", num dos poucos países da Africa onde há liberdade de escolha e de assumir a homossexualidade. Já está exposto no Centro Cultural do Mindelo uma bandeira arco-íris de 20 metros onde vão ser afixadas fotografias tiradas e reveladas na hora.

Desde ontem, ter ça-feira, 21, até o dia 24, vai-se administrar uma oficina de cinema focado na temática LGBT. O objectivo é esclarecer como é que se faz estes vídeos e falar desta causa. Ainda esta semana haverá o Festival de Cinema LGBTI. O público poderá assistir filmes de vários géneros de pessoas LGBT. O destaque vai para Tchinda´s, filme de Marc Serena que depois de correr o mundo, volta a ser exibido em Cabo Verde. Após a exibição dos filmes haverá lugar para debates sobre temas relacionados com a comunidade LGBT.

“Há filmes divertidos com histórias que mostram o dia-a-dia dos gays e lésbicas. Estas películas não vão deixar o público totalmente esclarecido, mas ficam com uma noção de como somos. Há muitos tabus de que não somos normais. Queremos ajudar as pessoas a mudar esta ideia. Ser gente não é gostar do que outras pessoas gostam. Não temos que gostar daquilo que a sociedade dita como regra. Temos que assumir o que realmente gostamos”, garante Steffy Lima, vice-presidente da Associação Arco-íris de Cabo Verde.

Na sexta-feira, 24, Cláudia Rodrigues, representante de ONU, vai falar sobre os Direitos Humanos, durante uma palestra. Para terminar esta semana de reflexão sobre a igualdade de direitos,a homossexualidade e a opção sexual livre, a Associação Arco-Iris e a comunidade LGBTI propõe o Mindel Pride.

Este desfile, que acontecer no Dia Internacional de Pessoas LGBT, ou seja 25, leva às ruas uma manifestação para celebrar o direito e a liberdade de escolha das pessoas. A concentração será na Praça Dom Luís e o segue o percurso habitual do roteiro do Carnaval. Haverá bandeira, diversão e música. No final, a vice-presidente da Associação Arco-Íris, Steffy Lima, falará à comunidade LGBTI na praça Dom Luís.

Vanina Dias

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau