POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

MpD: “Governo do PAICV tem grandes responsabilidades na deterioração do Índice Mo Ibrahim 2017" 24 Novembro 2017

O Movimento para a Democracia (MpD), em conferência de imprensa realizada esta quarta-feira, 22, na Cidade da Praia, considera que o anterior Governo de Cabo Verde tem “grandes responsabilidades na deterioração do país face ao Índice Mo Ibrahim 2017”.

MpD: “Governo do PAICV tem grandes responsabilidades na deterioração do Índice Mo Ibrahim 2017

Reagindo ao «Relatório da Mo Ibrahim index of african governance», publicada recentemente para reportar aos dados do ano 2016, o Secretário-geral adjunto do Movimento para a Democracia (MpD), Carlos Monteiro, afirma que a posição de Cabo Verde no Índice Mo Ibrahim é uma situação que deriva dos últimos cinco anos em que o país registou uma variação negativa no índice de “Segurança e Estado de Direito” (-0.50), de “Participação e Direitos Humanos” (-0.70) e de “Desenvolvimento Humano” (-0.08).

Neste documento, Cabo Verde teve a pontuação de 72,2 (em 100), ao contrário do anterior que obteve 73 pontos, perdendo uma posição, ou seja, passou de 3ª para 4ª posição, fazendo com que o país junte ao grupo de “Sinal de Alerta”, enquanto a Botswana passou e 2ª para 3ª posição, as Seychelles saltou de 4ª para 2ª posição e as Maurícias continuou a ocupar a 1ª posição.

Perante este facto, Carlos Monteiro defende que será necessário trabalhar para melhorar este quadro, para quem o panorama desta degradação do país, é ainda da responsabilidade da anterior governação.

“Contudo, foi com muita estupefacção que se assistiu às declarações da líder da oposição, Janira Hopffer Almada, a dizer que a deterioração de Cabo Verde na avaliação do Índice de Ibrahim não constitui motivo de grande estranheza, tendo em conta que vem acompanhando a postura do actual Governo no que tange à governação do país”.

No entender do MpD, a presidente e líder do maior partido da oposição tenta colar o actual Governo a eventuais situações menos positivas para o país ”com muita ansiedade e pressa, sequer deu-se ao trabalho de ler o relatório e verificar que a avaliação feita refere-se ao período da governação anterior e os dados colectados foram até Dezembro do ano transacto, ou seja, nos quatro meses de governação do PAICV mais os oito meses de governação do MpD. O relatório é relativo ao famoso “ano atípico” de 2016”, aponta.

Monteiro assegura que o MpD não veio deteriorar o país, mas sim travar a deterioração dos indicadores, sublinhando que poderiam ser bem piores caso o MpD não tivesse tornado Governo.

Para o partido no Governo, a postura de Janira Hopffer Almada tem-se tornado já a “imagem de marca” da oposição que sempre tem tentado criar a percepção de um ambiente de “perseguição e corrupção” no país.

O secretário-geral adjunto do MpD garanteu que o Governo mostra-se preocupado com qualquer avaliação da situação que coloca Cabo Verde num nivel menos bom do que encontrou em 2016. “ A líder do PAICV tem grandes responsabilidades pessoais na avaliação menos conseguida relativamente a 2016”, julga.

O MpD apela ao maior partido da oposição e sua liderança no sentido de ponderar e manter serenidade, “abstendo-se de avaliações precipitadas e infundadas”, sobretudo em matérias relacionadas com a confiança e credibilidade externa no país. CL

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau