OPINIÃO

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

O Desporto à procura do Governo 21 Julho 2017

A desorganização reinante no Desporto Nacional é visível, e factos recentes não faltam para ilustrar tal afirmação. Alguns casos foram mais mediatizados, nomeadamente no Andebol, com o encerramento das portas da sede da Federação, durante vários meses, num braço de ferro entre a direcção federativa e o Governo; no Basquetebol, com a problemática participação na fase de apuramento para o Afro Basquet; no Futebol com problemas na Região Norte de Santiago e em S. Vicente; mais tarde com os casos de Matchu, ligada a questão do passaporte diplomático de permeio e a participação de Gracelino Barbosa no Campeonato Mundial, de entre ouras situações.

Por: Américo Nascimento

( Deputado da Nação)

O Desporto à procura do Governo

Cabo Verde, um país com menos de um milhão de habitantes pode ser considerado um case study quando se fala do Desporto e da sua performance nessa área.

O cabo-verdiano tem qualidades inatas para a prática do Desporto, mas em contrapartida, temos organizativos, impera-se o improviso, a todos os níveis.

A desorganização reinante no Desporto Nacional é visível, e factos recentes não faltam para ilustrar tal afirmação. Alguns casos foram mais mediatizados, nomeadamente no Andebol, com o encerramento das portas da sede da Federação, durante vários meses, num braço de ferro entre a direcção federativa e o Governo; no Basquetebol, com a problemática participação na fase de apuramento para o Afro Basquet; no Futebol com problemas na Região Norte de Santiago e em S. Vicente; mais tarde com os casos de Matchu, ligada a questão do passaporte diplomático de permeio e a participação de Gracelino Barbosa no Campeonato Mundial, de entre ouras situações. Se somarmos a tudo isso, a saída intempestiva do seleccionador nacional de Futebol e a entrada de dois seleccionadores, num curto espaço de tempo; os resultados desportivos pouco satisfatórios dos tubarões azuis e sua monumental queda no ranking mundial; o não pagamento da equipa técnica da selecção nacional de Futebol durante 6 meses, com tudo isso e muito mais, é caso para dizer que já não se trata de novela, mas sim de uma série, com várias temporadas, cujo the end não se vislumbra tão cedo, se o principal actor (leia-se Governo), não aparecer em cena e promover a tal anunciada revolução.

Presentemente é a novela que se conhece com o Campeonato Nacional de Futebol, cujo enredo torna-se cada vez mais anedótico e encrencado e cujo desfecho é totalmente imprevisível. Independentemente dos próximos capítulos dessa longa-metragem futebolística pode-se afirmar, categoricamente, de que o Campeonato Nacional de Futebol da época 2016/17 é um campeonato falhado.

Como é de todo sabido, a par da organização e planificação, a infra-estruturação é fundamental para o desenvolvimento do Desporto. Não é que o Governo pela importância que diz atribuir ao Desporto, inscreve no Orçamento Geral do Estado para o ano 2017, a módica quantia de trinta e seis mil contos, quantia essa que nem corresponde à metade do custo da construção de um modesto estádio municipal de futebol! Em contrapartida passa-se a ideia de que o Governo vai investir fortemente na infra-estruturação desportiva em todo o país, quando a verba inscrita no Orçamento Geral do Estado vai na contramão das expectativas criadas.

Perante todo esse cenário, o Desporto Nacional vai evoluindo, o que pode parecer um contra-senso. Contudo, a evolução que se regista no Desporto centra-se particularmente nos desportistas, ou seja nas suas capacidades inatas. Por conseguinte, não obstante a deficiente organização, planificação e o manifesto fraco investimento no Desporto, vai-se conseguindo alguns progressos no Desporto, fruto mais das capacidades dos desportistas cabo-verdianos, do que do trabalho planificado e de uma liderança esclarecida. Ou seja, as instituições desportivas, nomeadamente o Governo, vão a reboque dos próprios desportistas. Vê-se, claramente, que há uma crise de liderança.

O Desporto vai ganhando importância cada vez mais na sociedade cabo-verdiana e se há sector que pode congregar vontades, promover os valores de cidadania, unidade nacional e patriotismo em Cabo Verde, é precisamente o Desporto. Por conseguinte, é preciso uma recentragem e valorização do Desporto Nacional, a começar pela sua organização e planificação, bem como pelos investimentos correspondentes à sua real importância no desenvolvimento de Cabo Verde.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau