POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

A propósito da declaração sobre ajuda de parceiros para acudir efeitos da seca: José Maria Neves critica que esta atividade de rotina está a ser transformada em arma de arremesso político 15 Dezembro 2017

O antigo Primeiro-ministro, José Marina Neves, deixou transparecer, na sua página de facebook, estranheza com o anuncio feito, hoje, na Assembleia Nacional, pelo actual chefe do Governo, Ulisses Correia e Silva,dos 10 milhões de euros que a comunidade internacional disponibilizou a Cabo Verde para fazer face ao mau ano agrícola. Neves critica que, esta atividade de rotina governamental - lembra que desde 1975 os parceiros têm acudido o nosso país em momento da seca extrema - foi, desta vez, transformada em arma de arremesso político, com direito a uma Declaração Política do Governo no Parlamento e com a exigência expressa da maioria de a minoria parabenizar o Primeiro-ministro por esse grande feito.

A propósito da declaração sobre ajuda de parceiros para acudir efeitos da seca: José Maria Neves critica que esta atividade de rotina está a ser transformada em arma de arremesso político

No post, com o título «A política pós-verdade», José Maria Neves alertou que «Cabo Verde está tudo louco» neste momento. «Neste meu querido Cabo Verde está tudo louco. Desde 1975, a comunidade internacional tem acudido Cabo Verde em momentos de seca extrema. O rigor e a transparência na gestão da coisa pública, a credibilidade das instituições e os investimentos sociais justificam tamanha solidariedade do mundo para connosco».

Referindo-se ao pedido deste ano, JMN considerou ser uma atividade de rotina governativa como a dos anos anteriores. «Neste ano de 2017 - desde 1977 não presenciáramos seca tão severa, como sempre- a pedido do Governo da República, a comunidade internacional respondeu prontamente. A única diferença é que, desta vez, uma atividade de rotina governamental foi transformada em arma de arremesso político, com direito a uma Declaração Política do Governo no Parlamento e com a exigência expressa da maioria de a minoria parabenizar o Primeiro-ministro por esse grande feito.»

Para José Maria Neves, em política não vale tudo, principalmente num caso muito sensível como a seca. «Em política não vale tudo, mormente quando se trata de questão tão sensível para os cabo-verdianos, como é a seca».

Ainda no seu Post desta quinta-feira, o antigo Primeiro-ministro concluiu que, o mais importante agora é trabalhar para acudir rapidamente àqueles que vivem em extrema dificuldade por causa da escassez da água e do pasto.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau