ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Ordem dos contabilistas e auditores quer contribuir para credibilização das contas do país 19 Julho 2017

A Ordem Profissional de Auditores e dos Contabilistas de Cabo Verde (OPACC) manifestou, segundo divulgou o Governo, ao Ministro das Finanças, Olavo Correia, a sua disponibilidade para apoiar na credibilização das contas nacionais e, no extremo, na boa governação do país. Para isso, pedem a anuência do Governo para a publicação do Relatório sobre a Avaliação de Normas e Práticas (ROSC) Cabo Verde do Banco Mundial e que após publicação, o país ficará habilitado a receber um donativo de 750 mil dólares. Os recursos seriam utilizados na implementação das reformas em termos de prestação de contas e reforço institucional nesta matéria.

Conforme refere na sua página oficial, diz o executivo de Ulisses Correia e Silva que este estudo foi feito pelo Banco Mundial em 2012 e aguarda deste então a autorização do Governo cabo-verdiano a sua publicação. É, segundo explica a OPAC, um importante instrumento de estudo da infraestrutura de informação financeira cabo-verdiana e que teria no seu entender, efeitos práticos no aumento da transparência na gestão tanto das coisas pública, como privada. Pelo que esta ordem solicitou, através do Ministro das Finanças, a autorização do Governo para que o Banco Mundial publique o documento e a partir daí, o país beneficiar destes recursos para o reforço institucional neste domínio. Defendem que o relatório traz algumas recomendações de política que do ponto de vista desta ordem, seria interessante que fossem analisadas e estudadas as respectivas implementações.

Do leque de recomendações interessantes deste relatório para o nosso sistema, destaca-se, entre outros a criação do “Conselho de Relato Financeiro” que seria um instrumento de controlo das normas e qualidade. Seria uma espécie de controlo à própria ordem. De realçar que a própria ordem defende que deve ser controlada, coisa que defende ser já pratica noutras paragens.

Mas as preocupações dos homens de contas não ficam por aí.No encontro que tiveram com o Ministro das Finanças, Olavo Correia, no âmbito das audições suporte para a elaboração do próximo Orçamento de Estado, a Ordem Profissional de Auditores e dos Contabilistas de Cabo Verde pediu igualmente as condições para alteração do próprio estatuto, que segundo defendem está muito aquém das demandas da realidade actual do país.

Entretanto, o Ministro das Finanças garantiu, por seu lado, encetar esforços para a publicação do documento, bem como apreciar a proposta de adaptação dos estatutos da OPAC, realçando que a transparência e boa gestão das coisas pública e privada são o farol deste Executivo. O governante agradeceu a disponibilidade desta ordem em colaborar para o desenvolvimento de Cabo Verde.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau